quarta-feira, 27 de agosto de 2014

Why Not Play? Os joguinhos mobile que curti nas férias

HELLOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOO, NURSE!!!!!!!

Adivinha quem voltou pra encher suas vidas com ousadia, alegria e amooooorrrrrr? EU! O CHAPOLIN COLORADO!

Não, pera...

Enfim, galerinha massa, perdão por esse hiato, estava aproveitando minhas férias da faculdade e trabalhando nos meus projetos pessoais, sobre os quais um dia falarei aqui. Mas eu amo escrever no blog e não deixaria vocês na mão. Então rejubilem-se, gatos e gatas!



Como vocês sabem, meus caros jovens criados a leite com pera, férias é a chance perfeita pra você tirar o atraso em tudo que quiser, ou seja, maratonas pesadas de jogos, séries, filmes e tudo mais que seu coraçãozinho mandar.

Entretanto, como fiquei focado nos já mencionados projetos pessoais, não fiz maratonas muito pesadas, apenas vi um ou outro crássico pra poder me considerar mais cinéfilo. Mas pra honrar minha posição como o cara dos videojogos do blog, aproveitei que meu pai foi gentil o bastante pra me emprestar seu celular (que é melhor que o meu só por ter Android) e o enchi de joguinhos.

Essa semana, vou falar sobre os que eu achei os melhores, então recomendo que você baixe todos os joguinhos sobre os quais falarei aqui. Alguma vez eu já passei o rolê errado pra vocês?

Jetpack Joyride

Sabe, muitas pessoas buscam por uma segunda chance na vida. Uma forma de começar de novo e/ou superar os erros do passado. Pra muitos, isso vem na forma de um novo emprego. Pra outros, na forma de um relacionamento novo. Pro protagonista desse jogo, uma mochila à jato.


Imagina o estrago que algum brucutu dos anos 80 faria com essa mochiletralhadora à jato

Jetpack Joyride é um jogo da Halfbrick Studios lançado em 2011 para o iOS e 2012 para Android. É um side-scroller de ação, com duração virtualmente infinita, semelhante a Temple Run, porém, de visão lateral como os clássicões. Faz um enorme sucesso até hoje devido à sua jogabilidade viciante, o que lhe rendeu prêmios até as tampas.

JJ conta a história de Barry Steakfries (um nome digno, admita), um humilde trabalhador numa fábrica de gramofone. Obviamente, não há mais muito mercado pra esse produto, então a fábrica está pra fechar por baixas vendas. Perdido e desiludido com a vida, eis que a esperança surge em um laboratório secreto DUMAL, creio eu. Ao ver o novo projeto de mochila à jato acoplado a uma metralhadora (por isso chamei de mochiletralhadora à jato na legenda), ele tem uma epifania e decide usar esse equipamento para ser um herói e invade o laboratório pra roubar o projeto. Só que não vai ser tão fácil escapar assim, então ele se envolve nessa fuga alucinante.

Você basicamente tem que seguir em frente, desviando de obstáculos como eletrocutadores, mísseis e lasers, enquanto coleta moedas, bem no estilo Mario mesmo. Entretanto, o jogo não tem um fim, você tem que prosseguir o máximo que puder, cumprindo os mais diversos tipos de objetivos pra aumentar seu nível e ganhar mais moedas pra comprar novos tipos de mochilas à jato, vestimentas para o Barry, bugigangas de suporte e upgrades pros diversos veículos os quais você tem acesso ao percorrer da fase.

É sem dúvida viciante e o meu favorito dessa lista. E caso você leitor(a), queira trabalhar nas engenharias da vida, faça uma mochiletralhadora à jato e mande pra mim, serei eternamente grato <3

Subway Surfers

Não sei ao certo se o público do WN tem uma faixa etária específica, mas supunhetemos que você que está lendo está na adolescência. Você provavelmente é um aborrecente que usa a desculpinha de que "está procurando seu lugar no mundo" pra ser o ser mais chorão e babaca possível, expressando uma rebeldia sem causa e individualidade da mesma forma que todo mundo.

Mentira, essa fase é foda. Vai por mim, eu sei.

Agora, vamos considerar que você prefere expressar sua rebeldia de forma artística. Um dos mais exemplos mais clássicos são as pichações. Só que se você for pego, vai ter que correr como se não houvesse amanhã dos responsáveis pela segurança do local. Imagine se essa fuga virasse um jogo.


Não, eu não farei nenhuma referência à Priscila Belfort

Subway Surfers é um jogo de correria infinita co-desenvolvido entre a companhia dinamarquesa Kiloo e a SYBO Games. É um dos diversos produtos derivados de Temple Run com uma jogabilidade bem similar e ao mesmo tempo mais simples e dinâmica.

O protagonista do jogo é Jake, um jovem cheio de malemolência que decide grafittar paredes de diversas cidades ao redor do mundo. Obviamente, esse "ato de vandalismo" não ficaria impune e ele é perseguido pelo Inspetor, que o caça pela linha ferroviária mais longa do mundo, onde ambos demonstram perícias acrobáticas melhores que muitos atletas olímpicos.

O jogo consiste em correr a maior distância e fazer o máximo de pontos possíveis, além de coletar moedas para compras os mais diversos itens, caixas-surpresas que podem vir com os mais diversos prêmios e chaves, que permitem você repetir o jogo caso bata em algum trem e/ou seja pego pelo Inspetor.

Apesar de não ser tão viciante quando Jetpack Joyride pra mim, ele é bem mais legal que Temple Run. E não é todo dia que você pular mais alto que um Kamen Rider.

Jogo do Cascão

Criança brasileira que é criança brasileira sabe muito bem quem é a Turma da Mônica. A não ser que seus pais sejam escrotos ou deprimentes ou impronunciavelmente chatos, você certamente já leu algum gibi deles na vida. Mesmo sendo a Turma da Mônica Jovem.

Mas é claro que esse tipo de legado não se limitaria a papel colorido. A extensão midiática da Turma da Mônica é gigantesca, desde desenhos animados até mesmo maçãs, passando por massa de tomate e chocolate nostálgico. E como estamos na Era Android, não é surpresa pensar que personagens tão mitosos não ficaria sem apps e joguinhos.


Vergonha de infância do dia: quando eu era pequeno eu fugia do banho loucamente também
Produzido pela Maurício de Sousa Online em parceria com a Insane Games, o Jogo do Cascão é um side-scroller clássico, com distância limitada, fases e até mesmo mundos, que são partes do lendário Bairro do Limoeiro.

Você é basicamente o Cascão, o menino mais sujo do mundo. E assim como nas histórias, você tem que correr da chuva loucamente, como se não houvesse amanhã. Você pode pular e dar rasteiras, coletar moedas com a cara do Chovinista, o porco do Cascão, e usar essas moedas pra comprar itens que te ajudam a realizar o objetivo da fase, que faria de uma pra outra.

É um jogo muito bom, mas não se engane: o timing dos seus pulos e rasteiras tem que ser muito bom, pois você tem que recomeçar a fase toda vez que esbarra em um obstáculo, a não ser que compre Anjinhos, o que lhe dá mais chances.

Flow

Sabe quando você comprava revistinha de passatempo e tinha o clássico "liga-pontos"? Alguns eram bem óbvios, outros você só conseguia perceber na reta final. Só sei que eles estavam entre meus passatempos favoritos.

Esse jogo é como se fosse uma evolução interessante do liga-pontos.

Um dia, eu chego nesse nível

Flow foi desenvolvido pela Big Duck Games e é um quebra-cabeça que se trata de ligar os pontos de forma que as linhas ocupem certinho toda área de um quadrado. Existem quadrados de várias áreas e quanto maior a área, mais cores de pontos você haverá pra poder ligar. Você só passa de nível quando colorir totalmente o quadrado.

Uma das coisas que eu acho legal nesses jogos assim, é que você pode tirar um tempo pra inventar histórias pra esses jogos sem enredo. Vai por mim, essa é uma dica aprovada por muá e um ótimo exercício de criatividade.


Uma menção honrosa por que eu sei que você já jogou,
não adianta me enganar

Ufa, que post mais demorado hein! Agradeço a todos pela paciência e garanto que algo assim não vai acontecer de novo. Apesar das minhas responsabilidades regulares, não vou deixar isso atrapalhar meu papel aqui no blog.

Tanto que já sei sobre o que eu vou falar no próximo Janu Manjão e já tenho algumas ideias pro Why Not Play?.

Fiquei ligados, vocês não vão se livrar de mim tão fácil! XD

Por hoje é só, pessoal!

Nenhum comentário:

Postar um comentário