quinta-feira, 24 de julho de 2014

Moreno Babaca - Músculo Total

Oi.
Tudo bem? Legal, legal... eu também.
Já disse que sou horrível nessas introduções? Pois é.
Então, vamos a uma análise de um anime que tem uma premisa ótima, uma execução ruim, uma mensagem confusa e a abertura que você vai lembrar pro resto da sua vida.

Senhoras e senhores, MÚS-CU-LO TOTAL!





Antes de mais nada…

Músculo Total (Kinnikuman Nisei no Japão) é uma continuação de Kinnikuman, um mangá e anime dos anos 80 que durou 9 anos. 

9 ANOS, era tipo o Naruto ou Bleach da época.

Devo dizer que eu nunca assisti muito o anime porque na época eu ainda não tinha TV a cabo, mas eu via alguns episódios quando ia em algum primo ou amigo que tinha. Outra coisa é que eu também não vi o original Kinnikuman antes de assistir Músculo Total. A razão foi pela falta de tempo (9 anos de capítulos/episódios, vaisefuder) e para ver se é possível acompanhar a série sozinha. Eu tentei assistir os primeiros 18 episódios, que seriam o primeiro arco da série, mas eu tive que parar no episódio 6. Vocês verão o porque. 
Vale mencionar também que quem colocou Músculo Total aqui no ocidente foi a sempre maligna 4Kids, a compania que não sabe o significado da palavra “localização”.

Preciso dizer qual é a falsa e qual é a original?


Que merda é essa?

Um meteoro em forma de um punho atinge a Terra e de lá saem os d.M.p., um grupo de lutadores de wrestling do mal que querem revanche do Rei Músculo (O Kinnikuman original) e dos outros lutadores. Vendo que os heróis não tem chance por serem muito velhos, eles abrem uma escola para treinar novos lutadores.
Um deles é Kid Músculo (Mantaro Kinnikuman em japonês), filho de Rei Músculo, que não tem nenhum interesse em lutar e quer ficar de fora. Depois de alguns “shenanigans”, Kid Músculo descongela o velho treinador de luta do seu pai (só… deixa quieto) e descobre que tem o poder chamado “Músculo Total” que simplesmente… deixa ele mais forte? Nunca é especificado qual as mudanças desse poder, só que ele fica mais forte. Hm… um poder desnecessário que só aumenta os status do ser… onde eu já ouvi falar nisso…

Essa piada lhe foi trazida por um gordo que joga pokémon.
Então…

Não mencionei na introdução, mas eu fui assistir o anime com os olhos de alguém que quer ver alguma comédia, não uma história complexa, personagens desenvolvidos, etc. Principalmente porque as piadas de peido são frequentes e um dos personagens é… isso.

O nome dele é Dik Dik Van Dyk BTW. nada de errado com isso


Dizendo isso, o anime… não é tão ruim assim. Não é bom, acho que a única razão que alguém lembraria da série é por causa dos designs bizarros dos personagens.
A história é bem, BEM cliché, você literalmente pode dizer o que vai acontecer, episódio por episódio, e eu nem uso a palavra literalmente tanto assim.
Eu gostaria de fazer um exercício de comparação para explicar o próximo tópico. Já ouviram falar de Katekyo Hitman Reborn?



Para ser mais específico, a versão do mangá e, assim como Músculo Total, também é do gênero de comédia. Nele, a história introduz o protagonista, que também é um herói relutante, junto com sua personalidade, algum elemento bizarro/sobrenatural e um final de capítulo que fica aberto para mais possibilidades desse elemento ser aproveitado. Mas depois de alguns capítulos a história toma um turno para um gênero shonen, com regras e vilões. E essa transição, apesar de ser do nada, é aceitável, porque sabemos como todos agem e como essas regras se aplicam nessas situações. 
Em Músculo Total, é diferente. O motivo de Kid Músculo lutar não é bem mostrado, muito menos é um impacto no personagem. No primeiro episódio ele luta com o vilão só porque o lanche dele caiu no chão. De novo, eu aceitaria se fosse uma comédia fazendo algum tipo de paródia, mas durante o anime Kid diz que não quer lutar e em todos os episódios, algum Deus Ex Machina acontece que o faz entrar no ringue, seja uma garota que ele quer pegar ou ele esteja preso dentro da arena. Eu gosto de protagonistas que não querem tomar o primeiro passo, mas meu caralho, toda vez tem um motivo forçado demais, e é por isso que ninguém lembra desse anime.
Sem falar que tem horas onde você não sabe se algo de engraçado aconteceu, ou aquilo é pra ser levado a sério, que nem um shonen. No 6º episódio, Kid Músculo tem que lutar com um homem-celular gigante. Ok, essa piada pode funcionar, mas esse homem-celular tem um poder de se transformar no trauma ou medo do inimigo. Qual é a conexão? Eu devo ficar preocupado pelo protagonista ou só achar engraçado que ele tem medo de cachorro e ignorar? O anime age como se fosse algo sério, mas ainda não deixa de ser uma piada, fica muito confuso, pelo menos para mim.


E ainda mais…

A dublagem não é ruim. Todos, inclusive o dublador do Kid Músculo, fazem um bom trabalho com o que é dado a eles. A direção por outro lado, é bem ruim. Tem umas escolhas bem mal feitas e mal traduzidas, e eu não os culpo, estamos falando da 4Kids afinal. E pra um anime que oferece alienígenas lutando wrestling na Terra, não é bem executado, aliás, é beeeem chato. Eu me peguei jogando meu 3DS toda a hora, ou checando outras abas no Chrome. Até comecei a assisti Arrow pra não ter que assistir mais o anime. Sim, eu comecei a ver Arrow por causa de Músculo Total.

Ainda bem que eu não faço análises de séries.

Já a animação… não é de todo o mal, tem até algumas coisas interessantes, mas nada além do padrão. Teve duas coisas que eu percebi que me irritaram. Nas cenas de luta teve bastante… como posso dizer…”replays”. Um exemplo, em uma cena, Kid Músculo chuta o inimigo na dobra do joelho, e ele faz isso mais uma vez, só que vista de outro ângulo. E essas duas cenas ficam repetindo e repetindo. É isso. As vezes tem uma variação, mas depois voltamos para os replays. Isso tem cheiro de 4Kids.
A outra coisa que me irritou foi a transformação de Kid Músculo em Músculo Total. Eu entendo que não é tanto como uma transformação e sim como uma “forma”, e que nada muda além da aura azul em volta dele e o símbolo na testa, mas mesmo assim, essas cenas são de muita importância para o espectador. Eu sou muito fã de Kamen Rider, principalmente o que está saindo agora, Kamen Rider Gaim. E nessa série de tokusatsu, a transformação é algo importante. É um cara normal que, num movimento no cinto, vira um herói de armadura ou até um deus. Músculo Total, de outro lado, aprendeu a fazer “henshin” na escola Sailor Moon (o velho, não esse reboot) onde toda vez que o cara se transforma são a mesma cena, frame por frame.

Você deveria assistir isso?

Eu diria que não, não deveria. Mas, sendo justo, eu não assisti o primeiro arco inteiro, muito menos o resto da série. Talvez eles tenham dado a volta e ficado bom no final. Eu não vou ficar sabendo, porque depois de 6 episódios, eu perdi completamente o interesse.

MAAAAAAAS, se você estiver nostálgico, assista o primeiro episódio, ele vale a pena e pra mim, só esse episódio, passa na regra dos 15 anos. E se você era super fã, e até hoje lembra dos nomes de todos os personagens, talvez o anime passe na regra pra você.

E se você tiver algum anime no seu coração e não o viu durante algum tempo, mande pra mim que talvez eu arruíno ele pra você.
Tchau.

Nenhum comentário:

Postar um comentário