quinta-feira, 3 de julho de 2014

Moreno Babaca - Gundam Wing PORQUE EU FIZ ISSO EDITION


Oi.

Aqui estou eu de novo com mais uma edição do Moreno Babaca. Devo esclarecer que o termo "Moreno Babaca" não é da maneira racista que você provavelmente deve estar pensando. É só o meu nome e um adjetivo que ouço bem frequentemente. Outra coisa que também devo dizer é que estarei postando às quintas-feiras, a cada 2 semanas. Afinal, terminar um anime ou devorar um mangá em apenas 7 dias ou menos pode demorar um pouco.
Dizendo isso, leia as opiniões sobre um mangá que me fez querer reconstruir o Empire State Building para mergulhar à 90º graus dele, o Super-Homem me pegar enquanto eu estiver caindo e me deixar cair de mais alto só pra acabar pousando com o olho em um prego enferrujado. E depois de sobreviver tudo isso, eu acabo morrendo de Tétano ao caminho do hospital.

Senhoras e senhores, Gundam Wing.



Note o selo "A série de TV". Caso você se confunda com a novela da Globo.



(OBS: Eu tenho os mangás físicos comigo e eu planejava escanear as páginas, pooorém, meu scanner não está querendo funcionar no momento. Isso significa que algumas imagens, como a capa do mangá aqui em cima, vão ser da internet, e outras serão fotos que eu tirei das páginas. Sei que é totalmente feio de ver, sem contar que eu sou um ogro tirando fotos, mas assim que eu conseguir escanear o mangá, eu faço uma edição e coloco tudo nos lugares. Obrigado pela paciência.) 



Antes de mais nada…

EU NÃO GOSTO DE MECHS. Não mesmo. Difícil de acreditar que robôs batendo um no outro com explosões atrás não me atraem tanto assim. Provavelmente porque a maioria deles tem personagens irritantes e história que não fazem sentido algum. E eu sei que eu apenas deveria ver esse tipo de anime/mangá só pra ver robôs gigantes socando um ao outro na boca (ou no “cockpit”, *wink wink*), mas pra mim é difícil quando o resto é tão chato e desinteressante. Dizendo isso eu tento ser justo com o material que eu assisto/leio e não digo que algo é ruim porque eu acho ruim.
Sem mais delongas, Gundam Wing (o mangá) foi desenhado por Koichi Tokita. No Brasil, o anime passava no Cartoon Network e a Panini Comics publicou o mangá. 
Segundo a Wikipedia, Gundam Wing foi o primeiro mangá que a Panini Comics publicou. Isso mostra que todo mundo tem um passado.

Que merda é essa?

A história começa contando que os seres humanos criaram planetas artificiais ao redor da Terra que iniciou uma nova era chamada “Depois da Colonização”. Mas como o ser humano é o ser humano, guerras começaram a surgir entre os planetas, ou ilhas/colônias como são chamadas. Para tentar acabar com essas guerras, o planeta Terra cria a “Aliança da Esfera Terrestre Unido” que basicamente produz robôs gigantes, chamados de Mobiles Suits, pra manter ordem nas ilhas artificiais.
Agora, no ano 195 D.C., 5 robôs de ilhas diferentes se dirigem a Terra. Esses robôs se chamam “Gundam”, porque eles são feitos de “Gundanium”.


Me dá um minuto…

Beleza, eu cansei de fazer a sinopse dessa merda, e olha que só foram umas 4 páginas e eu já quero colocar fogo nesse mangá. Primeiro, como alguém cria um planeta artificial? Eles não popularizam a lua ou outros planetas, eles simplesmente criam. Segundo, “Aliança da Esfera Terrestre Unido” é um nome ridículo. Talvez eles tem esse nome porque são confundidos com a “Aliança do Hexágono Aquático Unido”. A Panini Comics faz um péssimo trabalho traduzindo as falas e os termos, junto com outras escolhas que eles fizeram. Terceiro, GUNDANIUM. Apesar de não ter sido mencionado nessas primeiras páginas, quando foi dito no mangá eu fiquei pasmo. Como, meu Deus, COMO alguém consegue Gundanium quando o seu planeta é ARTIFICIAL? Quer dizer que ele é criado pelo próprio planeta depois de um tempo? E porque o planeta Terra não tem Gundanium para fazer seus robôs gigantes? Eles são obviamente mais fortes do que a Aliança usa.
Eu sei o que você pode estar pensando, que sobre Gundanium e Planetas Artificiais provavelmente são explicados nas outras séries de Gundam que passam antes dessa. Mesmo assim, a primeira página do primeiro mangá são os editores da Panini Comics dizendo para não se preocupar e “mergulhar no mundo de GUNDAM WING sem hesitação”. Isso quer dizer que eu vou ficar confuso sem saber o que diabos é Gundanium porque eu nunca vou ver outra série Gundam depois dessa merda.

Continuando…

O objetivo dos Gundans (ou Gundams, foda-se) é acabar com a opressão da Aliança em seus planetas. A parte militar da Aliança é comandada por Oz, que são malvados porque sim. Um dos Gundans, que é controlado pelo protagonista chamado Heero Yuy.


Heero Yuy. HEERO YUY. HEERO.


Esse é o pior avatar de personagem que eu já vi.



Me dá 2 minutos…

Ok, 2 comprimidos de Gardenal me desceram a garganta, vamos terminar essa sinopse.
Heero Yuy (e ainda zoam o Shyamalan por inventar o nome “Cypher Raige”) é interceptado por um General da Oz chamado Zechs Merquise. Após a “SUPOSTA” demonstração que o protagonista é um piloto de mech, ele acaba escapando e afunda no mar. Depois de sobreviver DE ALGUMA FORMA, uma garota chamada Relena Darlian o acha na praia. Só porque ela viu o rosto de Heero, ele decide que quer matá-la POR ALGUMA RAZÃO, e spoilers, ELE NÃO À MATA.


Tá tudo errado...




Heero descobre que não está sozinho porque outros também vieram de outras colônias ao planeta Terra buscando acabar com a opressão.

Foda-se essa sinopse.

Esse mangá é ruim demais. Os personagens são os piores. O nosso protagonista Heero Yuy (pior que isso só Céuboy) é para ser um anti-herói assassino badass, mas ele só ameaça a garotinha e luta com um robô gigante COLORIDO. Ta bom que é mangá, mas não tem nada badass num robô branco, azul, vermelho e amarelo. E pra alguém que quis matar um monte de gente, ele não mata NINGUÉM. Só os figurantes nos robôs genéricos, mas de todas as pessoas que ele ameaçou, todas sobreviveram.
Não se esqueçam também do sidekick alívio cômico, o cara com o cabelo emo, o cara com coração de ouro que não gosta de brigas entre o grupo e o asiático que quer ser o mais forte POR ALGUMA RAZÃO. A Relena é a pior porque não tem personalidade nenhuma. Ela quer paz, sabe porque? Porque ela é da família PEACECRAFT. PEACE. CRAFT.
Eu só…

Beleza, ok, eu estou agindo como esse foi A pior experiência que eu tive, mas não é. A história, por mais confusa que seja, ela só existe mesmo para que aconteça mais e mais lutas de robôs, o que eu admiro. Eu escrevi essa parte antes de terminar o mangá, porque quando li de novo este review tinha achado um pouco injusto. Até eu ler o final. 
Eu vou dar o spoiler porque ninguém que ler isso vai querer procurar o mangá depois. E se o anime seguir a mesma linha…
Enfim, a compania Oz no meio do mangá é tomado por uma família chamada Romefeller, que quer acabar com as colônias POR ALGUMA RAZÃO. Então Zechs acaba se tornando Líder da White Fang, uma nave feita nas partes revolucionárias das colônias que aparece no meio da história, para acabar com a Terra. Porque estou dizendo isso? Porque o último mangá é uma guerra entre os Oz, os White Fang e os Gundans batalhando no espaço. E como eu escrevi lá atrás, parece que a história só quer te levar para as lutas de robôs, o que é bom. MAS, o que estraga tudo é o duelo contra Zechs versus Heero. 
Zechs acaba dizendo para Heero que ele só está fazendo tudo isso pra ACABAR COM AS FORÇAS MILITARES. Ele acredita que fazendo isso, a guerra irá acabar. Esse é o plot twist. Que o cara mal na verdade era bom. O cara que trabalhava na corporação que queria destruir, onde ele era comandante vale apontar, só quer paz entre a Terra e as colônias. O cara que possivelmente matou civis nas colônias que ele tanto quer proteger, era um cara bom no final, e totalmente justificado.
Eu devo dizer que eu também não acredito que algo como paz mundial vai ser resolvida com abraços e beijos, mas, FILHO DA PUTA, VOCÊ ESTÁ DIZENDO ISSO NA PORRA DE UM ROBÔ GIGANTE! COM ARMAS E ESPADAS LASERS SAINDO PELO RABO! É sério que você não pensou em sabotar de alguma maneira a parada que você era COMANDANTE?! VOCÊ LITERALMENTE SOBREVIVEU UMA AUTO-DESTRUIÇÃO DENTRO DO SEU ROBÔ! EU ACHO, ACHO, QUE VOCÊ PODIA DAR UM JEITO! Olha só uma ideia, que tal convidar os 5 caras com robôs melhores que o seu e da sua frota para destruir essa merda DE UMA VEZ POR TODAS?! Esse mangá podia ter acabado em 2 edições em vez de ser essa bagunça arrastada!

...

Você pode até pensar que essa raiva é toda desnecessária e que estou pensando muito fundo numa coisa tão simples, e pra te dizer a verdade, até eu estou pensando que isso é exagero. E talvez eu esteja errado, mas... depois de ler 6 edições disso, onde eu espero algum showdown, algo que vire as mesas, algo que me faça abrir um sorriso, algo para explicar porque a série Gundam é tão adorada... me vem isso. Essa desculpa de plot twist covarde que faz o final de Avenida Brasil ser mais criativa. Por isso eu convido todos que estejam lendo e que são fãs de Gundam que me expliquem tudo que eu perguntei ou que acaba com a frase "POR ALGUMA RAZÃO". Porque eu juro que eu não entendi.

Continuando...


Outra razão de que eu acho ruim é que fica muito arrastado acompanhando esses personagens que você não se importa com um diálogo inexistente e muito, MUITO, mal traduzido.

Eles traduziram "Damn it" para "Danação". HNNNGGGGGGGG


E eu ainda não falei o que é pior, que é a estrutura do mangá. A arte é BEM mediana, mas caralho, a composição de quadros me faz querer vomitar. Não estou exagerando, olha pra essa merda:

COMO ELE DESVIOU DESSE TIRO?!?!

A porra da arma estava ENCOSTADA na testa do cara e ele desviou. Eu ia fazer uma piada de Matrix, mas esse mangá foi publicado em 1996 então foda-se.

Tá vendo essa explosão que ocupa uma página inteira? Pois é, ele sobrevive.

Ta vendo o cara de capacete esquisito lá no canto? Ele que é o Zechs. E como eu tinha dito, a mesma coisa acontece e ele também sobrevive. Quer dizer que, segundo esse mangá, a auto-destruição de um robô gigante é menos poderoso que uma biribinha.


... o que aconteceu?



Nessa cena, Chang Wufei (o de cabelo preto) desce do robô para lutar com Treize (o cara com a secretária ali). Fica claro que Treize estava num tipo de navio e que, de alguma forma, Chang entrou no navio pelo braço do robô.
Agora, depois de perder, Chang dá um grito e teleporta...para o robô? Essa transição ficou muito esquisita e não fica claro como ele foi embora. Quer dizer que ele gritou "DAMN IT ALL!" e ficou lá no navio por um tempo... pediu uma água, ficou de papo com o cara, fez alguma piada com o clima e depois montou em seu Gundam e saiu voando?
Vamos ver de outra forma, imagine que você está olhando pra essa imagem sem saber o que está acontecendo. Parece que Chang virou um Gundam e foi embora pelo mar com seus amiguinhos para o horizonte.

Uma coisa que eu esqueci de falar é que o mangá tem um formato para ser lido como uma HQ, ao invés de ler “ao contrário”. E eu tinha achado bem esquisito, mas depois eu percebi que as onomatopéias, ao invés de serem letras japonesas gigantes com pequenas palavras traduzindo o que está escrito, é sempre um “DASH”, “JUMP”, “SLIDE”, “FIRE”, “JACKOFF”, “WIENER”, o que me leva a conclusão de que a Panini Comics conseguiu os direitos de traduzir a versão americana editada. Entende porque eu disse que todos tem um passado?

Não tem nada de bom então?

Eu diria que eles acertaram aonde eles miraram, que são as lutas de robôs. Vamos dizer que essa foi a única parte onde eu entendi o que estava acontecendo. Mas isso não quer dizer que vale a pena você procurar isso num sebo de beco, PORQUE NÃO VALE.

Gundam Wing leva 3/10. Eu achei a história confusa, os personagens boring, a arte horrível junto com o fato que a Panini Comics da época não sabia traduzir ou editar mangás me faz querer ver menos coisas com robôs gigantes e isso é provavelmente ruim. E. AQUELE. FINAL.

É isso. Eu espero realmente que alguém me explique porque. Só porque.

Nenhum comentário:

Postar um comentário