segunda-feira, 26 de maio de 2014

Why Not Comics? #3

E aqui estamos novamente! Eu sei que não sentiram a nossa falta, [insira um emote triste aqui] mas nós voltamos mesmo assim por que adoramos falar sobre o que deixa a nossa vida mais feliz: QUADRINHOS!

Eu estaria gritando "quadrinhos" em Caps Lock agora, mas tô sem voz (?), então vou deixar a parte da gritaria pro Nick mesmo. Mas sim, estamos de volta!

Roda a vinheta do Bendis dançante!



No post anterior recomendamos mais alguns quadrinhos, então já que vocês têm um puta dever de casa decidimos fazer um post ainda mais pessoal. Essa semana fizemos um TOP com os nossos roteiristas e artistas favoritos trabalhando na indústria. Acho que essa é uma forma de vocês conhecerem ainda mais as nossas recomendações e, através delas, saber um pouquinho mais sobre nós e nossas preferências também :3

Estamos postando bissemanalmente por que eu e o Leo estamos com uma vida profissional bastante atarefada (quem vê pensa que somos realmente tão responsáveis assim) e nem sempre sobra um tempinho pra escrever. Eu mesmo tenho que trabalhar o dia inteiro, arrumar tempo pra escrever meus roteiros e arrumar tempo pro blog, então sejam pacientes conosco. Assim que der uma aliviada em nossas vidas, podemos pensar em postar algo semanalmente.

E justamente pra compensar essa nossa ausência, fizemos um post bem completão, com bastante coisa pra vocês lerem ao longo das duas semanas. Portanto, leiam sem pressa, tomem o seu tempo.


Sem mais delongas, aqui vamos nós!


ROTEIRISTAS [Nick]


5º Lugar - JEFF LEMIRE



Trabalhos de destaque:
- Sweet Tooth
- Animal Man
- Green Arrow

Por que ele, Nick?
Eu gosto de roteiristas com escritas únicas e marcantes. Eu gosto daquele roteirista que você lê uma história e, mesmo sem saber quem tenha escrito ela, reconheça a escrita do cara ali. Eu consigo identificar a escrita do Lemire de longe. Ele não é perfeito, nenhum roteirista é, mas o cara consegue transformar qualquer título em um título no mínimo interessante. O Arqueiro Verde, por exemplo, é um título que eu achava “legal”, porém nada demais. Depois que peguei a run do Lemire com o Sorrentino, a minha opinião sobre o personagem mudou completamente. Bem, é aquela coisa, né: não existe personagem ruim, só roteirista ruim.




4º Lugar – CHARLES SOULE

Não deixem ele te enganar
com essa cara de bonzinho;
 esse cara é um monstro!
(no bom sentido)

Trabalhos de destaque:
- Superman/Wonder Woman
- She-Hulk
- A bíblia! (brincadeira)

Por que ele, Nick?
Digamos que esse cara escreve CENTO E QUARENTA E QUATRO PÁGINAS DE ROTEIRO POR MÊS!!! Daí você provavelmente vai virar pra mim e dizer, “E daí? Ele é um dos melhores roteiristas de todos só por que ele escreve 7 títulos mensalmente?”. Bom, não exatamente. Ultimamente o cara tá escrevendo She-Hulk, Thunderbolts, Inhuman, Superman/Wonder Woman, Red Lanterns, Swamp Thing e Letter-44. Sabe qual é o melhor de tudo? TODOS OS QUADRINHOS QUE ESSE CARA ESCREVE SÃO, NO MÍNIMO, BONS!!! Tudo bem, galera. Vou mandar a real pra vocês. Não é só por que todos as HQs que o cara escreve são boas. É por que o cara é uma inspiração pra qualquer pessoa que queira trabalhar como roteirista profissional no ramo. Essa pessoa, nesse caso, sou eu. Ano passado o Charles, depois de várias perguntas desse tipo, “Como que você escreve tantos títulos por mês? Como?”, decidiu escrever um pequeno artigo explicando o passo a passo do trabalho dele. O título é “Como eu faço isso.” e você pode lê-lo nesse link: http://charlessoule.wordpress.com/2013/12/30/how-i-do-it/


3º Lugar – MATT FRACTION



Trabalhos de destaque:
- Hawkeye!!!
- Casanova
- The Immortal Iron Fist

Por que ele, Nick?
Eu nunca tinha lido nada do Matt Fraction até ver uma cambada de amigos e leitores de quadrinhos começarem a tumultuar a internet com críticas ótimas do que o cara tava fazendo com o novo título do Hawkeye. Dei uma chance, li a primeira edição e o meu queixo, literalmente (mentira), caiu. Eu provavelmente pensei, “Caralho, essa é a HQ da minha vida.” Sério, caras. Se não leram Hawkeye ainda, (o Leo até recomendou no nosso último post) leiam. O ponto forte do Matt Fraction, pra mim pelo menos, é a comédia. No entanto, não é uma comédia apelativa. Chega a ser genial em diversos pontos. Em Hawkeye, por exemplo, você basicamente ri a cada página. É hilário e badass, ou seja, tudo o que eu quero em um quadrinho. Uma HQ dele que mostra que ele não é só um “zé graça das HQs”, é The Immortal Iron Fist. É a última história do Iron Fist. Ele escreve junto com o Ed Brubaker. O tom da HQ é mais sério e sombrio. O Eisner que ele ganhou com essa HQ mostra que o cara sabe escrever bem uma história mais tensa também.

2º Lugar – GRANT MORRISON


Todo felizinho porque virou Membro do
Império Britânico
Trabalhos de destaque:
- All-Star Superman
- The Invisibles
- Doom Patrol

Por que ele, Nick?
Ao meu ver, essa pergunta chega a ser retórica de tão estúpida que é. Esse careca escocês maravilhoso me mostrou tudo o que eu tava perdendo sobre o Superman em All-Star Superman. Pra ser mais claro, se eu listasse as 3 graphic novels que você, leitor e amante de quadrinhos, tem que ler antes de morrer, All-Star Superman estaria entre elas. Mesmo que eu não tenha lido todas as histórias do Superman, eu arrisco dizer que essa é a melhor história já escrita do personagem, pelo menos na minha opinião. Inclusive, o Morrison foi o recepcionista na minha vida de leitor de quadrinhos. A primeira HQ que eu li e realmente queria continuar lendo sem parar foi BATMAN & ROBIN v1, com o Dick Grayson como Batman e o Damian Wayne como Robin. O primeiro arco que ele juntou forças com Frank Quitely (o mesmo artista de All-Star Superman) foi de explodir cabeças, bem, pelo menos a minha que tinha acabado de entrar de cabeça nesse mundo. Quer mais um fato que comprove a fodacidade desse careca maravilhoso? O cara foi condecorado com a medalha da Ordem do Império Britânico pela própria Rainha Elizabeth II, rapá!


1º Lugar – SCOTT SNYDER


LINDOOOOOOOOOOOOOOOOOOOO!!
Trabalhos de destaque:
- Batman
- Detective Comics
- American Vampire

Por que ele, Nick?
Quem me conhece sabe que o Scott Snyder é o roteirista mais do caralho que existe pra mim. É impossível expressar o quanto amo o trabalho dele, o quanto eu o amo. Sério. Basicamente, eu comecei a escrever quadrinhos por causa dele. Em 2011, quando eu ainda tava entrando na “onda dos quadrinhos”, a DC decidiu rebootar o universo e uma das HQs que eu mais queria ler, era a nova do Batman. A edição #3 me pegou de jeito. Foi ali que eu descobri quando um roteirista sabe ou não contar uma história. Eu nem precisava ler o resto do arco pra deduzir que o Scott Snyder era um puta de um escritor. Não lembro bem quando a ideia de começar a escrever veio à minha cabeça, mas com certeza foi na época em que eu tava lendo o primeiro arco do Batman que ele escreveu. A influência para esse desejo repentino de contar uma história veio dele. Eu sabia que conseguiria contar uma história tão bem quanto ele um dia. Seu trabalho em Detective Comics, que foi antes dele começar a escrever o título principal do Morcego, é elogiado até hoje pelas críticas. Com seus títulos creator-owned como American Vampire, Severed e The Wake, ele fez sua reputação no mundo dos quadrinhos. Ganhou prêmios relacionados à 9ª arte e continua a explodir cabeças com sua escrita inteligente e histórias intrigantes. Ainda esse ano teremos uma nova HQ creator-owned dele, WYTCHES. Como se não bastasse a reinvenção dos vampiros em American Vampire, agora ele quer reinventar as bruxas e, é claro, eu não poderia estar mais ansioso por esse novo projeto.

ROTEIRISTAS [Leo]


5º Lugar – BRIAN K. VAUGHAN


Trabalhos de destaque:
- SAGA
- Runaways
- Y: The Last Man

Por que ele, Leo?
Caras, se vocês não leram Runaways, tão perdendo tempo. Faz de conta que você e uma molecada aí descobrem que seus pais são supervilões, logo depois de vê-los sacrificar uma jovem em um ritual ocultista. O que vocês fazem? Sei lá o que vocês fazem, mas os personagens em questão roubam os equipamentos vilanescos dos pais e fogem por aí. Tá vendo? Só a premissa do negócio já é genial.  Mas mesmo Runaways sendo muito bom e muito divertido e tudo mais e mesmo merecendo todo destaque do mundo, o projeto mais recente do Brian, SAGA, é praticamente uma aula de narrativa e desenvolvimento de personagens. E foi com esse trabalho que o Brian conquistou meu coraçãozinho para todo o sempre (e conquistou um Eisner também, mas meu coração é mais importante). Eu já falei da HQ aqui, mas não custa lembrar: essa HQ está no pódio de melhor leitura da minha vida, ao lado de American Vampire e Hawkeye. Se você ainda não leu, VAI LER, CARA.

4º Lugar – BRIAN MICHAEL BENDIS


Mó vontade de apertar
o Bendis ♥
Trabalhos de destaque:
- New Avengers
- Ultimate Spider-Man
- Dark Avengers

Por que ele, Leo?
Primeiro de tudo: o Bendis é o gordinho mais foda do mundo. E o careca mais foda também (sim, isso exclui gente muito foda, tipo o Patrick Stewart, Brian K. Vaughan ou o Grant Morrison – desculpa, Nick :/). Eu acho que já disso isso em um outro post, mas boa parte do sucesso atual dos Vingadores deve ser creditado ao Brian. Em 2004, quando os personagens da equipe já pareciam desinteressantes pro grande público, esse careca lindo veio e acabou com tudo, desmembrando os Vingadores e começando uma nova equipe, com caras do naipe do Homem-Aranha e Wolverine. Assim, os Vingadores voltaram a ser a equipe mais amada do público, roubando os holofotes dos X-Men. Com seu roteiro mais leve, Bendis tem o costume de transformar suas HQs em grandes sitcons estrelando heróis. As grandes sagas da última década (com exceção de Guerra Civil) saíram dessa careca brilhante: Vingadores - A Queda, Dinastia M, Invasão Secreta, Reinado Sombrio, O Cerco, Era de Ultron, uma caralhada de coisas. E depois de anos escrevendo os Vingadores, o Bendis finalmente passou a bola pro Hickman e assumiu os X-Men, fazendo um trabalho muito bom também. Amem esse careca do mesmo jeito que eu amo.
  

3º Lugar - JONATHAN HICKMAN

"E aí, mano, tá afim de um
plot que dura uns três anos?"

Trabalhos de destaque:
- Vingadores
- Quarteto Fantástico
- Fundação Futuro

Por que ele, Leo?
O Hickman é aquele tipo de cara que leva MUITO tempo construindo uma história MUITO grande e MUITO cansativa. Mas depois, quando você olha pro trabalho como um todo, é impossível não se apaixonar. A maior prova disso é Quarteto Fantástico (com arte de Bryan Hitch). O lance é super arrastado e leva um tempo pra começar a tomar forma, mas quando isso finalmente acontece, meu amigo, você vê que o cara é genial e é o roteirista perfeito pra escrever histórias de proporções astronômicas. Seu trabalho no Quarteto agradou tanto os fãs e a crítica, que a Marvel jogou o cara pra escrever sua galinha dos ovos de ouro: os Vingadores (e, de quebra, Hickman também levou os Novos Vingadores). E os planos dele aqui seguem o mesmo esquema: uma execução mais lenta, montando um quadro muito maior. Seja na equipe orquestrada friamente por Tony Stark em Vingadores ou nos Illuminati de Novos Vingadores (uma cúpula ultra secreta, formada pelos maiores heróis do mundo – Stark, Sr. Fantástico, Namor, Dr. Estranho, Fera, Raio Negro, Pantera Negra e Capitão América), Hickman mantém sua narrativa impecável, concedendo o brilho necessário para cada personagem.
Outros trabalhos de destaque incluem S.H.I.E.L.D. (uma versão milenar da agência que conhecemos hoje, formada por figuras como Leonardo Da Vinci, Isaac Newton, Howard Stark, Nicola Tesla e outros gênios da história), Guerreiros Secretos (que é basicamente um título onde o Nick Fury chuta bundas com muito estilo) e East of West (o Nick não o Fury já falou sobre esse título lá no nosso primeiro post).

2º Lugar – MATT FRACTION


Olha que gato, gente
Trabalhos de destaque:
- Hawkeye
- Invencível Homem de Ferro
- Sex Criminals

Por que ele, Leo?
Bom, primeiramente gostaria de dizer que esse cara é o amor da minha vida (de uma forma totalmente heterossexual). Sim, muita gente detesta ele e com motivo: o cara tem um currículo um pouco sujo. Dentre seus trabalhos toscos, o Matt já escreveu Uncanny X-Men (que, convenhamos, é realmente uma bosta), Punisher War Journal (que também é bem escroto) e The Mighty Thor (que é fraquinha mesmo). Mas mano, Hawkeye e Sex Criminals estão aí pra compensar tudo isso e deixar um saldo positivo infinito na conta do cara. Isso sem contar todo o run do Fraction em Homem de Ferro, que é a minha história favorita protagonizada pelo personagem. Sabe esse Homem de Ferro sarcástico do Downey Jr.? Parte dessa faceta veio do Tony Stark desenvolvido pelo Fraction. Ah é, deixo aqui uma menção honrosa à The Immortal Iron Fist, que o Fraction escreveu em parceria com Ed Brubaker (outro lindo também).

1º Lugar – SCOTT SNYDER 

"Seu frágil mundinho vai se abalar" -
SNYDER, Scott sobre Batman
(Olha ele aqui de novo)

Trabalhos de destaque:
- Batman (porque é BATMAN, né)
- American Vampire
- The Wake

Por que ele, Leo?
PORQUE O CARA É FODA DEMAIS. Aliás, essa paixão eu devo ao Nick (fato curioso: eu comecei a ler DC por influência do Nick). 

Vamos lá: Batman do Scott Snyder traz TUDO AQUILO que gostamos no personagem (E SE VOCÊ NÃO GOSTA DO BATMAN, SAI DAQUI): mistérios, as técnicas de investigação do maior detetive do mundo, os vilões teatrais de Gotham City e, claro, altas cenas e confrontos épicos que testam as habilidades do morcego. E todas essas características já marcadas pelo personagem são elevadas ao extremo no roteiro de Snyder. Já em American Vampire, temos um show a parte. Considero esse aí como sendo o melhor trabalho de toda a carreira do cara. Ele consegue trazer de volta todo o potencial que os vampiros oferecem. A história aqui foca no terror que já foi uma característica desse nicho, e conforme a trama avança, passamos também por vários outros gêneros bem hollywoodianos: desde o thriller de espionagem, ao drama e ao filme de guerra, no melhor estilo “Resgate do Soldado Ryan”. Mas claro, tudo isso vem muito bem acompanhado por vampiros estripando pessoas ou outros vampiros. Ah, pra você ter uma noção da genialidade do cara, as primeiras edições de Vampiro Americano contam também com umas histórias secundárias escritas por Stephen FUCKING King. Por que eu citei tudo isso? Pra vocês verem a capacidade que o Scott tem de contar diversas histórias magistralmente, tudo isso sem perder a identidade de sua escrita.

ARTISTAS [Nick]


5º Lugar – SEAN MUPRHY


Também conhecido como o
 Bradley Cooper das HQs
Trabalhos de destaque:
- Joe, the Barbarian
- The Wake
- Punk Rock Jesus
- Hellblazer
- American Vampire: Survival of the Fittest

Por que ele, Nick?
Sou apaixonado pela arte do Sean desde “Joe – O Bárbaro”. Uma HQ da Vertigo escrita por Grant Morrison sobre um garoto diabético que, quando entra em estado de hipoglicemia, começa a imaginar e ver coisas. Ele entra num mundo de fantasia e luta ao lado de seus brinquedos contra o Death King. Esse foi o primeiro trabalho do Sean que eu vi, e é maravilhoso.  O forte dele é a criação; a imaginação do Sean pra construir universos é imensurável. A visão que ele tem é rara, os ângulos que ele desenha chegam a ser cinematográficos. Tudo sobre a arte dele é impecável. Tudo sobre a arte dele me fascina.




4º Lugar – DAVID AJA

Trabalhos de destaque:
- Hawkeye
- The Immortal Iron Fist

Por que ele, Nick?
HAWKEYE.
Apenas.
Okay, vou tentar explicar um pouco do meu amor pela arte dele. Pra ser sincero, eu nunca gostaria da arte dele se eu tivesse a visto há algum tempo atrás. Quando eu comecei a ler quadrinhos, eu só gostava de arte “bonitinha”. Sabe, aquela arte completamente comum, com personagens com rostos bonitinhos e corpos musculosos porque essa é a visão de arte boa de uma pessoa que joga Street Fighter/The King of Fighters/derivados desde pirralho.  Eu não me importava com artes “diferentes”. Artes com uma pegada mais “nervosa”, mais caprichada, mais detalhada. Resumindo: EU ERA UM PUTA DUM BABACA. Ainda sou um pouco, mas isso não vem ao caso. Eu conheci a arte do Aja em Hawkeye e me apaixonei por ela na primeira edição mesmo. A HQ não é a mesma sem ele, e dá pra notar isso por que de vez em quando outros artistas desenham algumas edições, o que estraga (no mínimo) 50% da experiência pra mim. Mas o que realmente me deixa louco até hoje é a edição #11 de Hawkeye. Essa edição foi provavelmente a edição mais comentada sobre o título. Em Hawkeye #11 não temos Clint Barton como protagonista, nem Kate Bishop. Temos Pizza Dog, o cachorro do Clint. A história da edição é inteiramente contada a partir da perspectiva do Pizza Dog. É sensacional. Não é à toa que essa edição está competindo na categoria de ‘Melhor Edição Única (ou One-Shot)’ do Eisner Awards 2014.

3º - Lugar - GREG CAPULLO


Trabalhos de destaque:
- Batman
- Spawn
- Haunt

Por que ele, Nick?
Se você é meu amigo e está lendo isso, deve estar se perguntando por que o Greg Capullo não está em 1º lugar nessa lista. Bem, as coisas mudam, meus amigos. Essa lista aqui pode mudar semanalmente pra mim, só depende da minha excitação quanto a outros artistas. Isso se aplica também à lista de roteiristas (exceto pelo Scott Snyder, esse cara aí sempre será o meu roteirista favorito). Enfim, eu tenho um apreço muito grande pela arte do Capullo. Nunca li as edições que ele desenhou pro Spawn, mas li Haunt e gostei bastante. O trabalho dele nunca foi tão reconhecido como agora em Batman. Tanto é que só fui atrás de Haunt depois de conhecer o trabalho dele com o Morcego. A arte dele melhorou de forma bastante notável desde Batman #1. Em Ano Zero, o arco mais atual em Batman, ele se mostra um verdadeiro artista quando cria uma versão pós-apocalíptica de Gotham City. A quantidade de detalhes e o capricho em cada em cada painel mostra a verdadeira evolução de Greg. Espero poder vê-lo bastante tempo em Batman ainda; não só pelo traço único que ele traz ao universo do Morcego, mas pra ver ele se superar a cada edição.

2º Lugar – STUART IMMONEN


Não fica bravo por estar em 2º lugar, Stuart.
Te coloquei na frente do Greg Capullo, cara!
Trabalhos de destaque:
- All-New X-Men
- Nextwave: Agents of H.A.T.E.
- New Avengers

Por que ele, Nick? 
Como eu disse, sou um leitor novo, então só conheci o trabalho do Stuart ano retrasado quando a Marvel renovou seus títulos e eu tive a chance de começar a ler X-Men. A arte daquela HQ me pegou de jeito. Não era nada parecido com o que eu já tinha visto antes. Era algo totalmente novo pra mim. O brilho, o foco, as cores... era tudo sensacional! Eu gosto do fato dele ter um traço maleável, como ele muda a própria arte pra se adaptar ao tom de tal HQ. Isso sim é uma habilidade rara em artistas. Ele cria layouts incríveis, trabalha bem a expressão corporal e facial de seus personagens, deixando tudo muito real e caprichado. Os cenários que ele cria e as cenas de ação fazem meus olhos brilharem. Dificilmente o Stuart Immonen vai sair desse meu TOP de artistas favoritos porque o cara arrebenta de verdade.

1º Lugar – FRANK QUITELY


Trabalhos de destaque:
- All-Star Superman
- New X-Men
- Batman & Robin
- WE3

Por que ele, Nick?
Por que ele? Porque Frank Quitely é o artista mais mítico e maravilhoso que existe, meus queridos! Como eu disse ali em cima, ele trabalhou em All-Star Superman, uma das minhas histórias favoritas de todos os tempos. Ele não é considerado um dos melhores artistas da atualidade apenas por mim, mas por muitos, por MUITOS outros fãs e quadrinistas. Inclusive, ele também é o artista das três primeiras edições de Batman & Robin, a HQ que me colocou nesse mundo, ou seja, como não colocar esse cara em 1º lugar? Apesar de seus “delays”, quando Frank Quitely desenha, é pra valer. A evolução de seu trabalho está em Jupiter’s Legacy, o trabalho mais atual dele. Não estou atualizado, mas pelo pouco que li já deu pra ver que o traço dele tá melhor do que nunca. Esse é o artista que eu mais desejo conhecer nessa minha vida de fã.

ARTISTAS [Leo]


Ele tem cara de quem curte axé, mas é francês (?)

5º Lugar - Olivier Coipel


Trabalhos de destaque:
- Thor
- O Cerco
- Dinastia M

Por que ele, Leo?
A arte do Olivier é extremamente limpa, seus traços são bem claros mesmo, perfeita pra quem curte uma cena de ação bem "explicadinha", sabe? E ele foi um dos primeiros caras que chamou minha atenção na indústria. Uma das primeiras coisas que eu li com assiduidade (olha que palavra legal) foi Thor do J. Michael Strahxasijdiaushdiuoasdaiscki, que contava justamente com a arte desse francês maravilhoso. Mano, tem um painel que ele desenhou em O Cerco, onde o Sentinela parte o Ares ao meio (sim, o Deus grego da guerra) e CARALHO, dá pra ver cada tripa do maluco voando no meio de Asgard. Muito lindo. Só tem um problema: todo personagem desenhado por ele tem a cara inchada, parece um pão. Mas isso eu relevo. Há alguns anos atrás, ele foi considerado um dos Young Guns da Marvel, um grupo seleto de jovens artistas (ou novos na casa) que tinham potencial para serem os picas da galáxia dentro de alguns anos. E aqui está ele, no meu ilustre top 5 (não que isso signifique muita coisa).

4º Lugar - Rafael Albuquerque


Nem parece com um cara que
desenha altos bichos macabros
Principais trabalhos: 
- American Vampire
- Batman
- Mondo Urbano

Por que ele, Leo?
Se alguém aqui já leu American Vampire, sabe o porquê do Rafa estar na minha lista. Ao contrário do Coipel, a arte do Albuquerque é completamente suja, com traços menos lineares e mais soltos e MUITO escura. E caras, isso funciona perfeitamente em American Vampire, criando cenas densas e completamente imersivas, te arrastando pra todo o pânico que o roteiro do Snyder proporciona. Claro, não dá pra julgar a arte do cara só por um trabalho, mas é que esse é um dos maiores. Mas ele já fez várias histórias secundárias em Batman, já desenhou Blue Beetle e Mondo Urbano é muito massa também. Um dos meus pontos favoritos na carreira dele foi uma edição de Batman, em que vemos toda a velocidade que o traço do Rafa pode trazer: temos um Bruce Wayne jovem dirigindo um carro em fuga no meio do Rio de Janeiro (!). Ah é, isso me lembra outra coisa importante: o Albuquerque é brasileiro. Um dos meus (poucos) motivos de orgulho pelo Brasil.



3º Lugar - Becky Cloonan


LARGA SEU MARIDO E CASA COMIGO
Principais trabalhos:
- The True Lives of the Fabulous Killjoys
- Demeter
- American Virgin

Por que ela, Leo?
Porque um dia eu vou casar com ela. Mas além disso, porque o traço dela é lindo demais. Tudo bem redondinho, bem equilibrado, completamente apaixonante. Sim, eu não sou nenhum especialista em desenho, então posso estar falando merda, mas gente. GENTE. Procurem uma arte dela. DÁ UMA OLHADA. A Becky (a.k.a. mozão) é mais conhecida por seus trabalhos auto publicados (The Mire, Wolves e Demeter, todos trabalhados em preto e branco e roteirizados por ela mesma), mas já fez outros trabalhos que merecem destaque também, tipo um one-shot de Batman (com o Snyder) e The True Lives of the Fabulous Killjoys (com o lindo do Gerard Way ♥). Ah sim, ela já veio pro Brasil e eu tenho uma foto com ela (eu sei que isso não contribui em nada pro post, mas eu precisava falar sobre isso, desculpem). Ainda não li American Virgin, o qual eu citei ali em cima, mas já tá na minha fila, justamente por causa de ser a Becky desenhando, né. 


2º Lugar - Greg Capullo


Parece aqueles caminhoneiros
americanos, sabe?
Principais trabalhos:
- Batman
- Batman
- Batman
- Spawn

Por que ele, Leo?
Caras, o Capullo é aquele artista que acabou ficando conhecido por um só trabalho. Não que seus outros trabalhos não sejam dignos de nota, o cara sempre foi dedicado e, de mais a mais, eu nem tenho coragem de falar mal dele. Olha pra ele. OLHA PRA CARA DELE. SE ELE ENCOSTA EM MIM, EU TÔ MORTO. Mas a questão é que eu nem tenho do que falar mal. Porra, eu já não consigo mais imaginar o título mensal do Batman sendo desenhado por outra pessoa. Foi em Batman que o Capullo finalmente recebeu o holofote que merecia e o ele é, de longe, uma das melhores coisas que já aconteceram pro personagem em muitos anos. É interessante notar que o Greg tem um estilo mais caricato, com um Batman bem "quadrado" e, ainda assim, funciona perfeitamente com o roteiro mais sombrio do Scott Snyder (vocês perceberam que eu continuo repetindo o nome do Snyder, né?). Todo o trabalho dele em Batman é digno de nota: desde o labirinto delirante de Corte das Corujas, ao Coringa sem rosto em Morte da Família e a Gotham apocalíptica de Zero Year, a arte é espetacular, sabendo explorar os momentos de drama, tensão e, principalmente, aqueles momentos chocantes e explosivos que toda boa história do Batman oferece.

1º Lugar - Stuart Immonen


Awww
Principais trabalhos:
- New Avengers
- Fear Itself
- All-New X-Men

Por que ele, Leo?
O porquê do Immonen estar em primeiro lugar? Eu acompanhei o avanço do Immonen. Quando eu comecei a ler quadrinhos, lá no comecinho mesmo, eu vi o Stuart desenhar Superman: Identidade Secreta, com um traço bem limpo, leve, sem muito o que dizer, e em Ultimate Fantastic Four e Ultimate X-Men, com um traço caricato demais e com pouca expressão. Eu vi quando ele evoluiu para a sitcom elaborada de Novos Vingadores. Quando, ao lado do Fraction, ele fez o mundo ser destruído pelo medo em Fear Itself e quando ele voltou aos Novos Vingadores, agora com seu traço mais elaborado, complexo. E quando, ao lado de Bendis mais uma vez, ele reinventou os X-Men do passado, trazendo todo o ar cômico que o roteiro do Brian pede, mas também valorizando o drama que o contexto exige. Eu vi o Immonen evoluir e isso fez eu ficar cada vez mais apaixonado pela arte dele. E, o ponto onde ele chegou atualmente, em All-New X-Men, é espetacular e não me surpreende que o Nick tenha sido fisgado tão rapidamente pela arte dele. O cara é um gênio. É o meu desenhista favorito, sem dúvida e EU NÃO ME ARREPENDO DESSE TOP 5 (mas senti falta do David Aja e do Steve McNiven e da Sara Pichelli e do Chris Bachalo e do Mike Deodato, mas a vida é assim).

--//--

Então é isso, galera! Espero que tenham gostado e se interessado por algum dos autores/criadores na lista por que só tem gente talentosa nos dois TOPs (ou quatro) que fizemos. Curtiram o post? Espalhem! Queremos dominar o mundo e você pode nos ajudar compartilhando com os seus amigos e seguidores desconhecidos no Twitter!

Espero que o tamanho do post não tenha espantado vocês. Se quiserem recomendações, opiniões, se quiserem tirar dúvidas ou qualquer outra coisa que possamos ajudar (menos conselhos amorosos, não somos bons nisso), segue o meu ask.fm (sim, nós ainda usamos essa rede social) e o do Nick (acho que ele não vai ficar bravo se eu divulgar isso).

Um abraço e até o próximo post!

See ya', folks.

Nenhum comentário:

Postar um comentário