terça-feira, 18 de fevereiro de 2014

RH Adventures: Um novo nome, um novo cavaleiro das trevas


Bem-vindo DENOVO ao blog. É meu modo ridículo de abrir um post, acostume-se.

E hoje tenho casos MINÚSCULOS de Recursos Hilários para falar, nada que renda AQUELE POST, mas é algo pra rir e mostrar que o blog tem conteúdo. Enfim né.

Pro pessoal novo, nesse quadro eu costumo ironizar e ridicularizar pessoas de um certo ambiente de trabalho. Uso pseudônimos para preservar suas identidades e manter suas idiotices.






Queria contar dois casos bem babacas.

Um é o caso de retração cognitiva. O que isso significa? Eu não faço ideia, talvez um conjunto de palavras bonitas que te lembrem das músicas gostosas de Jorge Vercillo.

Mas sabe o quê não é bonito? Meu nome.

ADLER, que coisa mais curiosa. ADLER é "águia" em alemão, e quando usado como nome, significa "aquele que tem visão".

Steven Adler é o exemplo mais famoso deste nome de merda que eu vou encontrar. Ele foi baterista do Guns'n Roses, mas como eu acho essa uma banda extremamente fag, prefiro ilustrar usando a imagem daquele cantor andrógeno do Raul Gil.



Enfim, ADLER.

Vocês devem conseguir pronunciar com fluência digna de um diplomata, lendo a palavra. Claro que é fácil, está escrito na sua cara.

Agora, me ligue aqui de manhã e pergunte meu nome. Acerte de primeira.

Eu falo enrolado? Talvez, mas a verdade é que na verdade eu tenho 1000 nomes. E eu aceito qualquer coisa. As pessoas erram tanto o meu nome que eu parei de corrigir.

"-Alder?"
"-Isso"

"-Abner?"
"-Isso"

"Aleder?"
"-Correto"

Afinal, é um telefonema de 5 segundos, tanto faz como a pessoa que eu nunca vi na vida me chame, logo mais eu já terei desligado o telefone e voltarei à minha vida de ler os asks das pessoas.

PORÉM, eu NÃO ADMITO que alguém que consegue falar o meu nome perfeitamente, o erre.

Aconteceu aqui, com uma colega de trabalho. Acontece que, com essa moça, eu expliquei meu nome. Eu até o escrevi em uma folha de papel, tamanho o pró-ativismo que eu tinha no dia. Ela leu como um Papa lê um Salmo.

AAAAAAAADDDDDDDDLLEER

Ok, agora me explique em nome de Isaías porque a dita cuja conseguiu jogar o cérebro no ralo da pia e está me chamando de ALDRE

ALDRE


ALDRE!

E não é como se ela não me visse todo dia, pois vê!

Do nada, em nome de algum demônio polêmico, esta criatura conseguiu criar um anagrama com uma palavra ESTRANGEIRA.

Ela, sei lá, tomou porre de gasolina algum dia desses? Puta merda.

ADLER significa ÁGUIA FODELONA COM VISÃO E NARCISISTA
ALDRE significa que alguém precisa voltar à fazer supletivo.





E por fim, o meu dia foi salvo. Sim. Foi um milagre. Eu tinha acabado de cortar o meu dedo, como mencionado no post anterior, e parecia que não teria salvação.

Eu me virei para procurar ajuda, e ninguém respondeu. Eu estava sem rumo, sem apoio, poderia ter caído, mas vi algo que me chamou mais a atenção.

Não era possível crer no que meus olhos mostravam!

Era o Batman, vestido com sua capa e capuz, vindo até mim me ajudar. Por pouco a criança interior não soltou seu gritinho de alegria, mas aí percebi que era apenas a Jequiti Sonolenta, com sua cara derretida em noites mal dormidas e botox, vestindo uma regata do herói.


Quase ganhei 10 quilos de lepra ao ver aquilo.

Recuperado, após ir no banheiro me limpar, volto à minha cadeira e meu trabalho, para segundos depois ficar ouvindo:

Jequiti Furiosa: "Batmaaaaaan, Batmaaaaaan, Batmaaaaan ♫"

Jequiti Sonolenta, demonstrando ser Doutorada em DC Comics: "Cuidado comigo que hoje eu to com meus poderes"

Jequiti Furiosa, rebatendo com sua sapiência: "Metade dos poderes né, faltou a capa"

Jequiti Sonolenta, após ter pesquisado sobre o herói no site do Fernando e Sorocaba: "Haha, verdade, vou sair voando daqui"


E como eu sempre aprendo na pele, a merda sempre pode piorar. A querida senhora e seu rosto recheado de morfina passou do meu lado rindo, e filosofou consigo mesmo à respeito dessas brincadeiras:


"Hehehe........vô fazer o vampiro brasileiro"

Nenhum comentário:

Postar um comentário