segunda-feira, 27 de janeiro de 2014

TOP 5 - Paradas que me deram MEDO

Oulá aí!

Bem-vindo ao post prometido/atrasado/devidamente postado da semana passada, o TOP 5!

E, se não lembram, na semana passada, no Adler Responde #12, me foi requisitado formalmente um top momentos em que eu senti medo pra caralho, sejam eles obras que eu "consumi" ou até mesmo momentos de cagaço na vida.


E como não podia deixar de ser, esse vai ser um post cheio de links e vídeos, então não deixe de ler :3

SEMBORA
5º Lugar - Clint Eastwood


Então patotada. Acho que o quinto lugar tem que ser aquele BEM BOBO medo de infância, mas que me afetou bastante na época. E é engraçado de se pensar nele agora.

Enfim, o que acontecia: vocês lembram do Toonami?

Pois é, quando os canais infantis da TV paga ainda tinham qualidade, existia esse quadro de programas dentro do canal Cartoon Network, dedicado completamente à animes. Ao longo dos anos eram inúmeras as obras exibidas ali, mas podemos citar alguns (por coincidência, meus favoritos): Samurai X, Inuyasha, YuYu Hakusho, Cavaleiros do Zodíaco, Sailor Moon, Sakura Card Captors, Corrector Yui, Pokemon até Johto). Inclusive, tu, amigo nostálgico (tenho vários, abraços pro Ricardo e pro Torres), se lembra de Talismã?

Mas voltando ao assunto. De todos esses, existia um que acompanhou a minha existência. Claro, Dragon Ball Z. E minha memória seletiva sempre me diz que eu comecei a assistir este desenho desde o PRINCÍPIO. Quando as vinhetas para entrar e sair dos comerciais era a luta do Raditz, se lembram?

Ok, nostalgiei demais. Em certa época, o Toonami chegou a passar também de madrugada. Se não me engano, eu perdia os episódios de Dragon Ball Z por culpa da escola, só chegava a tempo de ver Inuyasha. Assim, me esforçava para ficar acordado nas madrugadas vendo as reprises de Goku.


E o Cartoon Network, maroto como é, resolveu passar videoclipes entre um comercial e outro. Qualquer clipe? Claro que não. Já que eles não tinham contrato nem com Cannibal Corpse ou com Marilyn Manson, a saída era passar Gorillaz mesmo, mais especificadamente o clipe citado, Clint Eastwood.

Agora me entenda caro leitor. Sim, hoje, à luz do dia, com seus 20+ anos, tendo assistido à todas as possíveis continuações de Atividade Paranormal, isso parece bem boboca né? Agora repete isso de madrugada, na sala, SOZINHO, com um clipe onde gorilas zumbis começavam a surgir do chão, onde um rapper fantasma SUSSURRAVA "that it's all in your head", e que tinha uma GAITA MACABRA FILHA DA PUTA. E porra, eu tinha no máximo 8 anos!

Bem, não fiquei MUITAS vezes assistindo DBZ de madrugada, mas das vezes que vi e este clipe passou, eu preciso admitir que corria para o meu quarto, ainda com a TV ligada, e entrava debaixo do cobertor. Só retornava quando a música tinha acabado.




4º Lugar - A Mágica


Existe um período antigo da minha vida, muito bacana e saudoso, por acaso, onde eu tinha a mania de trocar "creepypastas" com meu amigo Ricardo. Foi um ano onde o site Medo B reinou nos nossos favoritos. Ainda teve o memorável dia onde, estando eu na casa dele, pela madrugada, acessamos o site e demos play em TODOS os videos que achávamos. Foi uma sessão horror de internet, com direito à muito sorvete de papaya com cassis embebido em groselha.

Eis que um singelo dia, meu querido amigão me manda mais um de seus links macabros. Diferente do costume, dessa vez ele teve que me alertar antes:
"ADLER, NÃO IMPORTA O QUÊ ACONTEÇA, FAÇA TUDO O QUE ESSE TEXTO TE FALAR. POR FAVOR, NÃO LÊ RÁPIDO. LÊ DEVAGAR, ACEITA O QUE O TEXTO PEDE E FAÇA TUDO"

Claro que ele não falou em caixa alta, apesar de ter uma mania parecida, mas ele foi exatamente categórico ao me alertar que eu precisava ler e obedecer o site. Agora, eu poderia desconstruir completamente o texto aqui, mas eu quero que você tenha a mesma experiência que eu QUASE tive por completo.

É o seguinte: eu vou deixar o link para o texto aqui. Não se preocupe, o site, apesar de horroroso, não tem sustos nem nada do tipo. Eu juro pela alma desse blog que tudo o quê você irá encontrar é um TEXTO, e SÓ. Igualzinho alguns posts antigos meus. Talvez alguma música comece a tocar (culpa do site, que liga o tema de Lavender Town sozinho quando tu entra), e, se tu quiser, pode tirar o som, apesar de eu achar maneiro pra dar um clima mais legal.

Como o Ricardo disse, eu repito: para ter uma experiência DIFERENTE DE VERDADE, faça tudo o que esse texto pede. Não tem satanismo, bruxaria, nada dessas merdas. Fique relaxado. O medo aqui é inteiramente e unicamente psicológico. Entende? Uma experiência que, apenas com palavras e alguns pedidos, te deixa trincando de medo.

Eu vou fazer uma exigência a mais: faça isso de noite, com todos dormindo. Não lembro se o texto fala isso, mas faça exatamente nesse período.

E um PS que você só vai entender no final do texto, mas vai deixar a experiência bem mais divertida:

Ao final de tudo, ABRA :)


A MÁGICA


3º Lugar - Biohazard: Gun Survivor

Esse é bem antigo, junto com o Gorillaz. Bem, macacada, vocês provavelmente conhecem Resident Evil, seja pelos jogos gloriosos ou pelos filmes merda. De qualquer forma, você sabe sobre o que se trata: zumbis.

Quando ganhei meu primeiro Playstation 1, o original, grande e robusto, veio também uma leva de jogos do antigo portador. Não lembro se minha mãe comprou do amigo padeiro dela ou se na verdade foi um presente do cara pra ver se descolava um encontro com a minha veia, mas ele devia ser um cara um pouco perturbador, pois, na mesma bolsinha de cds, ele tinha um simulador de pesca e CARMAGEDDON



Isso mesmo, aquele joguinho GTA só que mais explícito. Enfim, o tema não é Carmageddon. A verdade é que, no auge dos meus 8 anos de idade, além de me cagar quando o 2D cantava "ho ho ho ho hoooo", eu também tinha muito medo de jogar BIOHAZARD: Gun Survivor. O jogo em si é uma MERDA, pois só faz sentido em arcades com aquelas armas de apontar na tela, mas o foda, meu irmão, eram as portas


Toc Toc, é o Capeta, posso entrar? :3
Sempre que tu entrava em um ambiente novo, essa animaçãozinha das portas rolava. Pelo que sei, isso não é exclusivo do Gun Survivor, até Resident Evil 1 tinha, certo?

Bem, essa animação de cima não é exatamente a MESMA do jogo. Lá, era bem mais lento, e ainda tinha o sonzinho da porta rangendo enquanto se abria. Era o som do Anti-Cristo gargarejando de manhã. E o foda é que eu me assustava muito com essa merda de gif. Só consegui vencer meu medo quando meu primo, grande Léo, veio me dar a mão e avançamos no jogo juntos, no pior multiplayer do mundo. Desistimos depois de muita merda, mas nada apaga todos aqueles anos onde eu travava só de ver a porta se abrindo.




2º Lugar - O Suicídio do Lula Molusco

Tudo começou com esta pasta. Meu ano de 2010 nunca mais seria o mesmo após ler essa história. Eu nunca mais veria a Fenda do Bikini com os mesmos olhos...

os.........OLHOS


...
Vamos deixar bem claro uma coisa: isso pode não acontecer com todo mundo, mas eu, particularmente, sempre que leio histórias, quaisquer que sejam, as represento em tempo real na minha cabeça, como um vídeo. Pensando bem, todos fazem isso, mas acho que eu sou muito mais apegado à essa "dramatização" da cena, pois eu começo a entrar no clima muito fácil.

Dito isso, vamos à história. Eu nem lembro quem me mandou essa, provavelmente o próprio Ricardo. Isso aqui foi o começo do meu "amor" por histórias do mesmo gênero. As creepypasta. Por acaso, eu não disse lá em cima, mas creepypasta são relatos de internet que contam histórias macabras, seriam os contos de terror 3.0, agora com a internet pra propagar tudo em massa. Algumas, as que eu mais curto, contam histórias por trás de obras de desenho ou filmes, como é o caso dessa que discutiremos.

Ah sim, o link. O Suicídio do Lula Molusco


Pois bem, tu leu? É, não sei você, mas na primeira vez que vi isso, eu fiquei bem depressivo. Quer dizer, ok, tá muito na cara que é história inventada pra dar toda essa carga dramática, esse mistério mórbido. Mas...já pensou fosse verdade?

Como eu disse, eu reproduzo tudo o que leio com imagens na cabeça. Sew é uma história, eu faço então cena por cena na mente para compreender melhor aquilo. Não foi diferente com esse conto, mas o foda mesmo é que eu mal sabia o que era creepypasta, então acreditar nisso tudo não foi difícil.


Quem escreve essas creepypastas são GÊNIOS do terror moderno. Sério. Um simples textinho bem detalhado e com as palavras certas e eu já tava morrendo de medo de assistir Bob Esponja. Cresci, esqueci de tudo...até que algum perturbado resolve "revelar" o vídeo mostrado lá. Quer dizer, tá na cara que é um vídeo baseado na descrição da pasta, tem MUITA coisa ali que é nitidamente trabalho porco de edição. Mas ainda assim, ver o vídeo me relembrou de tudo isso, e me ajudou a visualizar essa nhaca toda completa.

E pensar que tudo isso estava esquecido de novo, até o dia que eu vi um certo episódio do Bob Esponja, na Nick mesmo, e aparece aquele pirata, o Patch. Ele olha pra minha cara na tv e diz: ACHEI O EPISÓDIO PERDIDO DE BOB ESPONJA :3




1º Lugar - Paralisia no sono


Depois de tantas obras e adaptações citadas, deixei o meu MAIOR MEDO REAL SENTIDO NA PELE para o fim. E muito justificadamente: eu não consegui dormir sozinho por um tempo depois disso.

Bem, vamos à história. Adler, aquele garoto bacana que anos mais tarde faria um blog foda, estava em seus plenos anos de evangelismo. Ou seja, nosso pastor-mirim era do tipo que orava, ceava, pedia perdão. Um garoto lindo. Um belo dia, nosso amado pimpolho foi dormir mais tarde do que devia. Digamos que o canal Multishow muito lhe interessava naquela época.

Assim, ele foi dormir, chuto eu, lá pelas 03:00 - 04:00 da madrugada. Nada de anormal, para falar a verdade. E tudo foi perfeitamente bem.

De olhos fechados, o gênio mirim se esforçava para cair no sono logo, se apegando à qualquer pensamento maluco que aparecesse pela cabeça. Mas, aonde estavam esses pensamentos?

Adler só conseguia pensar em vozes, e vozes reais. Sua cabeça estava bem agitada, e no meio disso tudo, ele OUVIU uma multidão chamando ele. Não uma multidão tipo Parada Gay, estavam mais para 10, 15 pessoas. E todas elas gritavam o seu nome (Adler, em um exemplo de milagre por ninguém errar a pronúncia). Ele podia imaginar várias cabeças rodando ao redor de seu próprio crânio.

Até que parou. Ah, mas que lindo! As vozes vieram dar boa noite, não é?


NÃO

Opa, mas pera aí! O leopolrino rapaz não conseguia se mover!!!

Por mais que tentasse, todo seu corpo estava imóvel, preso por algo. O pior de tudo é que Adler, por mais ingênuo e lindo que fosse, sabia que estava acordado. Ele tinha noção de que estava em sua cama, em seu quarto, em sua casa. Então, por quê não conseguia ele nem mover o dedinho?

Perguntas e mais perguntas se acumularam em cima do rapaz, que agora percebeu que nem gritar conseguia. Ele queria abrir bem a boca e poder soltar um AAAAAAAAAAAAAAAAAH, mas seu rosto estava selado por algum distúrbio, alguma paralisia onde não conseguia fazer nada.

Até que uma risada vinda dos Campos Elíseos o detonou por completo. Naquele "sonho/pesadelo consciente", Adler abriu os olhos. Não os físicos, mas ele abriu sua visão para enxergar o que estava ali o segurando, e a visão não poderia ter sido pior.

Segurando os braços do indefeso juvenil estava uma figura encapuzada, sem rosto, com uma penumbra negra em volta, encarando, mesmo sem olhos, o pobre Adler. Não só isso, a figura macabra ainda estava agarrando, com uma mão só, ambos os braços do garotinho, cruzados por cima de seu tórax!

Ferreira-chan, o grande fiel que era, só conseguiu fazer algo: ORAR


Assim como da vez onde ressuscitou Lázaro, Yeshua chegou e botou o demônio pra fora do quarto. Isso me deu tempo de correr pra minha mãe e pedir todo tipo de oração que ela tinha com ela naquela hora.

E foi assim que meu dia virou uma merda. Fui apavorado para a sala no outro dia, e dormir então? Noite seguinte eu não estava nada confiante em mim mesmo, por sorte, isso só viria a se repetir poucas vezes depois, sempre quando eu ia dormir tarde, o que me fez associar essa "aflição" (segundo mamãe) com eu ver pornografia. Ou seja, fique longe dos peitos, que os demônios ficam longe de você.

Só MUUUUUITO depois vim entender que tudo aquilo era físico/psicológico e bem normal. Que nosso corpo, extremamente cansado, entrava em estado de sono imóvel antes da mente, o que causava essa sensação de estar preso, sendo que, na verdade, todo dia você dormia daquele jeito, mas sem consciência. Paralisia, então, era causado pela grande atividade mental em contraste com o corpo cansado e exausto. Essa combinação criava o "pesadelo real", onde, além de estarmos paralisados, aquilo do que mais sentimos medo aparecia por obra do nosso próprio subconsciente, assim como o Bicho-Papão em Harry Potter.

Mas é claro que foda-se essa explicação lógica e sem graça, era muito mais legal pensar que Lúcifer vinha me atazanar algumas noites :)



Bônus

Olha aí, seguem aqui duas menções honrosas. Ambas fruto daquela noite de sábado no Ricardo onde nos aventuramos pelo mundo do terror, da discórdia e da excelente edição. Nem vou falar nada, descrever e essas coisas. Só direi que, nos dois vídeos abaixo, segue a recomendação que se assista de noite, quietinho e sozinho :3


Nenhum comentário:

Postar um comentário