sexta-feira, 20 de dezembro de 2013

Papinho QUICK: CHEGA DE FALSO ABRAÇO PORRA


O papinho de hoje vai ser tão INHO que tu nem vai sentir entrando na sua timeline. Enfim meus bros, boa tarde. Hoje é o ultimo dia de trabalho por aqui no escritório das loucuras, o último antes das FESTAS DE FIM DE ANO.
 E justamente por isso que, motivadas por NADA, todas as pessoas daqui resolvem abraçar e beijar aqueles que, pelo ano inteiro, foi apenas aceno com a cabeça. Elas vem pra desejar boas festas, um ano próspero, felicidades e tudo mais o quê puderem extrair de cartões para dizer.

OK NÉ. É tradição praticamente, e por mais que eu ache bem boboca esse amor from nowhere, ainda assim é amor. A pessoa tá lá desejando que eu tenha um feliz natal, ou seja, que eu receba sexo oral enquanto como açaí com o videogame pausado por eu estar trocando a faixa do CD do Tame Impala. Então PORRA, essa pessoa realmente merece um abraço!

E bora lá né. Abraçar é uma arte. Normalmente, tu tenta analisar minuciosamente os movimentos dos braços do alvo, tentando encontrar qualquer indício de que um abraço está vindo à caminho. Porque, meu Jesus, é um POUCO chato confundir um aperto de mão com abraço, é aquela típica vergonha de uma ação que dura 3 segundos mas que a sensação de ter sido idiota te persegue até o Natal que vem.


Mas nada disso importa no Natal. Cacetes, é justamente a época do ano onde tu expressa seu falso carinho e amor por aquele ser repugnante. ASSIM, é lógico que haverá um abraço e um beijo no rosto (ou no ar, como todo ser humano costuma fazer).

Já falo logo que EU curto abraços pra caramba. Não sei ao certo porquê, mas é algo que sempre curto receber e proporcionar. Por isso costumo apertar nos abraços, afinal, ISSO SIM é abraço.

Mas aí chega o cidadão. A persona veio até ti, abriu uma conversa no MSN, viu que não tinham NADA no histórico, e resolveu começar o diálogo. "Boas festas! Bom Natal! Feliz Ano Novo!". Aeee, agora sim né tia? Chega mais e deixa eu te abraçoar.

Eu me inspiro todo para abraçar alguém. Porra, vem cá seu malandro. Envolvo o tórax do dito cujo com meus braços griléticos, encolho a pança para não perceberem, junto meu HAKI para gastar naquele aperto gostoso e..


E..

E.


Pronto, consegui abraçar... UMA SACOLA DE PESSOA. A queridona teve a PACHOLA de, no momento em que nossos corpos se tocaram, virar um espectro. Sinto como se eu estivesse abraçando todas as namoradas que tive antes dos 14 anos de idade ao mesmo tempo. Me jogar na piscina infantil de peito aberto teria sido mais abraço do que isso.

PUTA MERDA. POR QUE?!?!

Para com o abraço falso, ele destrói completamente quem tava se esforçando para efetuar da melhor forma possível esse ato de afeto. Se é pra virar uma água-viva na hora fatídica, opte por um simples aperto de mão, não é?

Os "tapinhas" nas costas vem pra cimentar toda essa merda fodenta. É tipo uma mensagem vinda da outra pessoa: "Hey bacanão, olha o quanto gosto de ti com esses tapinhas de limpar lanche que caiu no chão".


E ano que vem estarei lá, praticando a arte de abraçar bonecos de posto.

Nenhum comentário:

Postar um comentário