segunda-feira, 2 de dezembro de 2013

OFF ZUEIRA: Vale a pena se penar?

Bom início de segunda-feira galera. To aqui mais uma semana lutando pra não transferir esse blog todo para o wordpress. Logo logo, se eu realmente não ver vantagem no Blogger, acabo me movendo pra lá. Mas enfim, vocês terão Why Not de qualquer jeito :)

Então, chegaram à ver os vídeos? Eu sei que sim, deu umas 50 visualizações (tanto o post quanto os videos sozinhos). Recebi o feedback e pelo visto querem que eu me solte mais, que eu "arrisque" mais. Bem, esses primeiros videos eu tentei não ir tão longe mesmo, eram teste e eu queria que se focassem no modelo do programa em si, e não em mim. Mas agora com toda essa resposta positiva, que vê muito potencial pro vlog, irei me ajeitar com meu editor e vamos trazer videos cada vez melhores.


Dito toda essa parte "backstage", vamos para mais um post com cheirinho de chocolate.





▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬

Ok galera. Vamos conversar então. Pergunta rápida: você é gordo?

Muito pessoal? Depende do que eu considero gordo? Problema genético?

Relaxa, minha barriga AINDA está grande e deixa a visão de me ver sem camisa um filme de horror, então tu não está sozinho neste mundo de merda.

Agora, mais uma pergunta: e daí?

Já deu pra entender o tema né. Bem, é isso que eu quero abordar, com certo cuidado para não parecer um "magro" babaca. Isso porquê meus braços e pernas, até meu tórax, ainda são os de um adolescente de 15 anos.

Mas esse não é inteiramente o caso. Deixa eu falar uma notícia: semana passada fui na nutricionista. Uma senhora simpática, flácida e que, sabe-se lá por que, falava comigo olhando para a minha esquerda. Após me pesar, me medir, saber da minha rotina e da academia que faço, me preparou uma alimentação saudável para seguir. Não chega a ser uma dieta, pois, olha só, eu estou abaixo do peso ideal. Foi apenas uma reeducação alimentar para evitar futuros problemas.


Aí eu vou ver a lista. Percebi que a lista de rotina serve para TODO DIA. Ou seja, meu dia deveria ser daquele modo SEMPRE. Dito isso, você, assim como eu, irá se surpreender com alguns fatos.

Não existe chocolate, lanche, fritura, sorvete, pizza e outros PRAZERES da vida em nenhum momento. O almoço e janta precisam sempre ter o equivalente à um prato de verdura, decorado com legumes coloridos. UMA concha de arroz, UMA concha de feijão e uma carne do tamanho da palma da minha mão (que, para você que não sabe, é do tamanho de um Playmobil, no meu caso). Essa comida TODO dia, janta e noite. Outro detalhe: não tem bebida para acompanhar.

Agora, levando em consideração que a nutricionista parecia uma mistura de IGOR (aquele capataz do Dr. Frankenstein) com a Flor (aquela jurada do Silvio Santos), posso pensar de duas formas. OU ela realmente esqueceu dessas partes importantes e que devem ser discutidas, ou ela proibiu veemente todas elas silenciosamente.


Vamos trabalhar com a última opção, que rende mais texto pro post e abre essa discussão: por que eu tenho que abrir mão de coisas tão gostosas e prazerosas?

É foda fazer dieta. Vejo isso com conhecidos que, diferente de mim, estão realmente precisando perder peso. Aí fica pior ainda: abrir mão da dignidade de tomar um iogurte com açúcar, esquecer para sempre o queijo cheddar, trocar jantas por folhas. Cara, se tu é vareta e não precisa disso, já pensou em DEIXAR DE COMER AÇÚCAR?

É aí que quero chegar. A vida, como ela sempre foi abordada nesse quadro, é FODA. Ela não tá aqui pra te dar unicórnios e nem pra dar beijinho de boa noite. A verdade crua é que ela está aí para te comer, de todos os modos, em todos os sentidos, em todos os momentos que der. Isso porque somos frágeis feito folhas, fisicamente ou sentimentalmente, então qualquer coisinha já nos abala, destrói. 


Culpa nossa ou não, temos que aguentar muita merda nesse trajeto. Trânsito e/ou violência urbana praticamente te deixa inseguro e estressado na rua todo dia. Os impostos e a inflação deixam qualquer compra um peso enorme no seu bolso. Seus animais de estimação, seus parentes mais velhos ou até mesmo conhecidos acabam morrendo, e isso NÃO TEM JEITO. Ou seja, tudo isso é inevitável. Toda essa merda vem na sua cabeça e o máximo que tu pode fazer é se limpar e continuar escalando.

Agora, depois de tudo isso, de todos esses problemas, de toda essa mágoa, você ainda, POR VONTADE PRÓPRIA, tem que abrir mão de SORVETE?!?!

Depois da minha avó morrer, do meu carro bater, do meu celular ser roubado, de eu ser despejado de casa, eu realmente estou PROIBIDO de comer um açaí com leite condensado? Depois desse quadro todo, eu vou voltar pra casa (que eu não tenho nessa situação) e preciso comer FOLHAS?


Não estamos aqui falando de quem tem diabete, pressão alta ou qualquer outro desses problemas fodidos onde SIM, tu não pode mais comer prazeres da vida. Estou me referindo a pessoas com quilinhos a mais, pneuzinhos, flacidez, essas coisas. Esses problemas que, convenhamos, não são a pior coisa do mundo.

Não faz o menor sentido, não importa o quê os "fit fags" falem. Eu ESCOLHO comer bem, eu escolho ter prazer na minha alimentação. Isso se aplica à mim, que consigo odiar quase todas as verduras e legumes do mundo, mas ao ponto de engolir chorando, praticamente. E acho que não sou o único.

Porque, veja só, nós iremos morrer de qualquer maneira. Falando da saúde, que é o ponto onde quem defende a vida chata da dieta máxima implica, estamos fodidos de qualquer maneira. Ou você acha que andar por aí, nas ruas de São Paulo, engolindo fuligem e carbono, é o paraíso da saúde?

Não interessa se eu como folhas ou se eu como banha de porco na manteiga (o que é bem nojento): eu já to ferrado só de morar em uma cidade grande. Se tu for ver, deveríamos nos rodear de árvores, beber água de fontes e passar o tempo desenhando tirinhas em cavernas. Acontece que, advinha só, nós não somos mais assim já faz MILÊNIOS. Nossa vida, nossa sociedade, elas já estão destinadas à "poluírem". Seja o planeta ou nossos próprios corpos. Por que, então, você não entende que eu quero, PELO MENOS, morrer com cream cheese na boca?

Como disse, estamos falando de GORDINHOS. NESSE CASO, acho uma idiotice se privar de uma das únicas coisas boas e acessíveis da vida.

E é isso. Como sempre, este post e o post no facebook estão completamente liberados para receberem vossas opiniões, eu sempre respondo elas. Então escreva aí embaixo, e quem sabe discutimos enquanto dividimos um Pringles? :)

Nenhum comentário:

Postar um comentário