terça-feira, 17 de dezembro de 2013

Adler Responde #10

Vocês estão CONVOCADOS a ficar ouvindo essa música durante o post de agora

Mais rápido do que a agulha, mais feroz do que a fome, mais desejado do que a Kat Dennings, O ADLER RESPONDE CHEGA PARA TODOS!

E muito boa tarde à você que ama esta pocilga. Tá na hora de ler o que as mentes mais anônimas e sujas dos meus amigos conseguiram pensar.


PORÉM, UM AVISO:

Então galera, nessa última semana eu recebi duas perguntas que na verdade são pedidos de "Top 5" de algo. Eu AMO fazer Tops 5, e espero que vocês continuem mandando eles, mas eu vou separá-los do Adler Responde.

OU SEJA, eu vou fazer um outro post para cada Top 5. Isso ajuda o Adler Responde a não ficar enorme (imagine o quanto eu escreveria sobre cada colocação desses Tops), dá o devido espaço à essas listas fodas e também não impede que o Adler Responde seja postado de tarde (pois eu teria que colocar vídeos nos TOPS, e isso só posso fazer de noite, no pc de casa, Youtube bloqueado aqui, you know).

Então continuem mandando pedidos de Top 5 lá no ask sem problema, mas lembrem que eles vão vir em posts separados, ok? Então bora começar :)


Não, esse chiliquento não foi o autor da pergunta que está aqui de volta porque você pediu pra explicar do lobo-guará: Você continua vivo sem seu rosto. E como isso é um ASK: Você tem o poder de mudar algo no passado, mas não sabe as consequências que isso gera no presente. Arriscaria mesmo assim?
R: Olá pessoa! Eu senti sua falta semana passada ):

Então, eu continuo vivo sem meu rosto? Então provavelmente seria uma vida de merda mesmo, eu me machucando mas sem nunca poder morrer pra acabar com a dor...uau >_>

Ok, vamos pra sua nova pergunta: Acho que eu deixaria esse poder como um botão de emergência, sabe?

Eu não mudaria o passado à toa, mudaria caso chegasse na pior situação possível (tipo perder alguém de forma trágica). Ou seja, eu esperaria minha vida ser destruída para causar essa mudança, para conseguir uma vida nova, independente dela ser parecida ou não com aquela que eu perdi.


Chamam Xuxão? - Pamonheiro das Sombras
R: YOU AGAIN È_É

Acho que você é na verdade o Adler antigo, aquele que desenhava emoticons no tênis e que tirou a camisa do colégio no último dia de aula do 1º Colegial para usar (a camisa) como capa (sem contar que tu desenhou um grande "=D" no peito e saiu pelos corredores gritando Super Baka).

Você vem até aqui tentar me puxar de volta não é? Acha que eu sou fraco e que começarei a gritar "BAKAAAA" por todo lugar, certo?

Bem, meu ex-eu, saiba que eu te matei com toda força em 2011, e que você NUNCA voltará ò/\ó (mas eu to um verdadeiro Picasso dos emoticons, quero palmas).


E esse mundão... pra onde vai?
R: Falando literalmente, ele vai dar a volta no Sol, como ele tem feito já faz alguns bilhões de anos.

Agora, no âmbito mais social, mais bonitinho e poético, acho que ele vai continuar cruel. Eu não creio que um dia consigamos ser 1% parecidos com os Jetsons (que até hoje, é o melhor futuro que eu já vi). Provavelmente vai ser algo mais para o novo Total Recall, ou igual Elysium (tirando a parte utópica do espaço). E se não viu nenhum desses dois filmes, eu descrevo:

Acho que irá apodrecer cada vez mais, de forma lenta, mas gradativamente. Provavelmente eu morrerei antes de ver qualquer coisa parecida com o que imagino, mas com certeza, em algum dia, chegaremos no nível Mad Max de futuro, sei lá. É só pensar que, com a quantidade de países que possuem bombas atômicas hoje, a chance de dar merda nuclear é ENORME. Pode apostar que na PRIMEIRA guerra entre dois países INORMES (guerrinha no Afeganistão é peidar na farofa né), o mundo vai piorar bem mais.

Será tecnologia avançadíssima em contraste à podridão da sociedade, cada vez mais urbanizada, caótica, poluída, cinza, programada.


Legalização de drogas (como a maconha), a favor ou contra?
R: Bagulho (heh, entendeu?) tenso esse. Nessa questão, eu simplesmente não consigo deixar de ser egoísta, e vou lhes explicar já já.

Primeiro: Não, sou contra a legalização de qualquer entorpecente ou substância que altere o estado psicológico de uma pessoa (sim, estou incluindo o álcool nisso). Não acho que fazer isso seja um método efetivo contra o crime, tendo em vista que sempre pode se substituir a droga por outra coisa. Pode parecer radical (até porquê é) mas eu sou totalmente a favor de pena de morte E ações mais pesadas por parte da polícia contra os piores tipos de criminosos (assassinos, chefões de crime, estupradores, traficantes). É uma atitude brusca e meio "sem estratégia", mas eu não acredito nem um pouco que consigamos mudar essa situação através de "paz e amor". Inclusive, eu também não acredito em paz. OU SEJA, pra mim o crime poderia ser combatido e o nosso quadro poderia ser revertido com ESSAS medidas, e não deixando a cocaína ser incluída na cesta básica.

Segundo: NO ENTANTO, a maconha é um cigarro para idiotas. 

"E o cigarro não é, Adler?"

Não, não MESMO. Eu já respondi em outro Adler Responde que, pra mim, cigarro é como refrigerante. Algo que alivia, te deixa menos stressado. Cada um se mata como quer, e o cigarro está incluso aí. DIFERENTE DA MACONHA, que é comprovadamente algo que come seu cérebro. Claro, ela te relaxa BEM mais que o cigarro, mas todos sabemos que na verdade o cidadão quer essa merda de erva pra "ficar doidão", e não pra desestressar.

Mas estou divagando demais. O que eu quis dizer com a primeira frase ali em cima é que maconha é apenas uma outra versão de cigarro, então não acho que um possa ser liberado enquanto o outro é proibido. Maconha não causa alteração ao ponto de causar assassinato, então não vejo problema em ser legalizada.

Terceiro: O quê neutraliza tudo isso é que eu tenho nojo, asco, repulsa, a mais pura ânsia de vômito pela maconha e por qualquer um que a use. Isso está atrelado ao meu ser e eu nunca deixarei de ter essa visão. Sinto muito se tu usa, mas essa é a verdade. Eu inclusive nem gosto de começar amizades com quem as usa (falo isso porque eu tenho amigos já consolidados que fumam, e toda a amizade já construída consegue superar meu nojo). ASSIM, por mais que seja "justo" a maconha ser legalizada, o meu egoísmo em odiar a presença do cheiro dessa erva em qualquer lugar onde eu esteja me impede de desejar a legalização da droga. Eu sempre vou desejar que continue algo ilegal e "longe" de mim, porém, saberei que é justo caso um dia ela seja legalizada. (E tudo isso merecia um OFF Zueira, na verdade).

selecione o texto abaixo para lê-lo.
Prefere um combo de AIDS+Gonorréia ou Engravidar sua namorada (de trigêmeos)?
R: Tu quis me foder com os dois braços né?

Não serei babaca de dizer que prefiro morrer (por mais que existam alguns Aidéticos com vidas tecnicamente longas) ao invés de ter filhoS, mas realmente seria o fim do Adler atual. Bato na mesma tecla e repito: esse Adler que vos fala vai morrer o dia que tiver um filho.

É foda...eu vou morrer cara :(

Se eu pudesse voltar no tempo com algum poder maluco e mudar o passado, independente das consequências...

HEY!

Pera aí então!


Prefere um combo de Pepsi+Açaí ou Engravidar sua namorada (de trigêmeos)?
R: Nossa, que dificuldade em pensar nisso né? E que dejàvu...

MAS É ÓBVIO QUE É PEPSI E AÇAÍ NA VEIA.



com base na resposta do último Adler responde: "Se nós ficássemos loucos, nós não seríamos loucos pelo simples fato de sermos as únicas pessoas na Terra, o que transformaria o meu comportamento e o dela em algo normal" isso quer dizer que em filmes apocalípticos todos são loucos e ngm sabe?
R: Er, não né. Calma. Tu pegou o meu patinho de borracha e transformou numa pintura surrealista do Tio Patinhas.

Vamos lá: o que eu quis dizer com essa resposta aí de cima é que a loucura é relativa. Relativa à quem é a maioria.

Entenda assim: se tu, atualmente, AGORA, fosse sugado por um buraco no tempo e jogado lá em 1500, do ladinho de Pedro Álvares Cabral, e, ignorando as tecnologias que tu carregaria consigo, começasse a agir como age normalmente, sabe o que aconteceria?

Você ia ser considerado LOUCO, meu camarada. E não importa o quão são você seja aqui no nosso tempo: ali, sendo a única espécie viva do mundo que limpa a bunda suja com folhas de papel, você simplesmente seria um louco de pedra.

Entendeu?

Só existe eu e minha mulher na TERRA INTEIRA. Se eu quiser cagar na parede, eu vou ser normal, porque não existe ninguém para comparar comigo (tirando minha mulher, que provavelmente me acompanharia na defecação).

OU seja, as pessoas dos filmes apocalípticos não são loucas, não mesmo, elas são justamente o que eu disse, normais por serem as únicas.

E claro que isso também é relativo. Em um futuro apocalíptico, com ALGUNS humanos na Terra, aqueles que agirem diferente da maioria serão loucos, é claro.

E tudo isso serve para você ver que na verdade todos são loucos, cada um na sua medida. (Sério, eu pintei mesmo um "=D" no peito e corri PELA ESCOLA em pleno último dia de aula, COM 15 ANOS).



e mais, se tu ficou louco, como é que saberá que é a última pessoa da terra + que é imortal?
R: Aí já é uma pergunta muito relativa. Não dá pra saber do quê um louco tem noção. O cara que se masturba com um Max Steel dentro do barco daquele Castelo Encantado do Hopi Hari tem noção de que existem pessoas em volta dele? Não tem como saber.

Tudo depende de como eu ficaria louco no fim da Terra. Eu poderia, realmente, esquecer de que sou imortal e cortaria minha garganta todo dia, só por diversão.

Poderia esquecer que só existe eu no mundo e esperaria por 3 meses o meu pedido no Burguer King ser servido.

1001 possibilidades cara.

Nenhum comentário:

Postar um comentário