sexta-feira, 20 de dezembro de 2013

POR QUE NÃO? - K-POP

Meu deeeeeeeels, parem as prensas. Saltem do navio: O CAPITÃO FICOU MALUCO!

É é é, tava demorando mas FINALMENTE poderei me abrir e falar (aprovando) sobre K-POP, esta belezoca de gênero musical.

Quantos MIMIMIMERS será que deixarão de ler o post? Será que alguém vai ganhar da frescura e dar uma chance para o meu texto? :)


Informações Básicas:
Nome: K-POP
Gênero: K-POP
Apelido: K-POP
País de Origem: Coreia do Sul (e é POP)
Sigla: K-POP
Fonte de energia: Garotas virgens e ex-otakus.
Suco favorito: Kapo....p
Parte do carro favorita: Capô....p

Sinopse:
É, esse dia chegou. Eu tava aguardando ansiosamente pelo momento fatídico onde eu revelaria ao mundo (dos meus amigos) que eu curto pra caramba K-POP. Só quando a Bruna (o meu Kakashi do K-POP) me sugeriu falar logo desse tema que eu resolvi vir aqui me abrir e tals, inter...



Porra, mas tu ainda tá com essa cara?

Aceita logo, o Adler Aprova dessa semana é sobre um gênero musical tão "vazio", colorido e comercial quanto Anitta, com o diferencial de, no lugar da funkeira (que tem mais bunda e menos roupa do que rosto bonito) nós temos asiáticas branquinhas (sem racismo, é que japonesa LARANJA eu acho um pouco zuado) e fofas. E isso é o suficiente pra eu gostar tanto do tipo de música que me fez vir aqui falar bem dele. Deal with it.


Onde eu estava? Ah sim, a sinopse. Bem, eu to com uma puta preguiça de pesquisar sobre K-POP na internet, então vou resumir aqui o que a minha cabeça me diz que é verdade.

Um dia papai do Céu tava criando personagens no seu "The Sims - Mod da Terra". Pele pra lá, rosto feio pra cá, até que ele espirrou no teclado. Depois de limpá-lo, percebeu que seu muco divino misturado com as teclas que apertou enquanto limpava o periférico mexeram no jogo, e deram vida às asiáticas (asiáticas, PELO AMOR DE DEUS, entendam Coreia/China/Japão/Taiwan/Vietnã). Ele entendeu que tinha acabado de criar a perfeição, e pra elas não ficarem sozinhas, deu ctrl+c ctrl+v, baixou o DLC "pipi" e fez os asiáticos.

Anos depois, a Coreia do Sul, ao ver que não tinha NADA DE SIGNIFICANTE em seu país, criou academias de K-POP. As crianças da época, os gennins, eram alistados pelos pais e, por longos anos, treinavam a arte de ser foda. Pouco a pouco mais academias surgiram, e assim os esquadrões iam aparecendo (lembrando que o teste final era cuspir na foto da Britney Spears). Já estávamos no novo milênio de 2000 e o K-POP tinha sua base formada, e dali pra frente seria só sucesso.


Por que você deve ouvir:
Bem, o primeiro motivo poderia ser algum tipo de retribuição por eu ter contado uma história tão foda. Segundo, porque sim.



Na verdade, o nome desse post devia ser: "Pare de criticar K-POP se tu tem a faixa do show dos Menudos guardado na gaveta". Ou seja, eu estou aqui pra defender um pouco esses grupos musicais que, por mais comerciais que sejam, divertem pra caramba. E um exemplo meio clichê mas verdadeiro que posso começar usando é Gangnam Style.


Relaxa, eu não vou colocar essa música aqui. Já deu né?

Ganhou o mundo, ganhou o Youtube, ganhou o Domingo Legal. Porém, isso foi um sinal bem tardio de que o gênero pop coreano está ganhando o mundo pouco a pouco, inclusive o Brasil.

E afinal, o que é que tem nesse bando de jovens dançando?

Vou te falar: nada do que já não tenha visto antes, provavelmente.


Mas aí que tá. O pop, hoje em dia, dificilmente é feito em grupos. A maioria hoje é tudo solo, e infelizmente com muito rap envolvido (até minhas bandas favoritas de K-POP se renderam à isso, infelizmente). É nisso que, ao meu ver, o K-POP consegue se sobressair. Já digo logo pra ninguém vir mencionar One Direction nos comentários se não eu dou ban do blog (nem sei se dá pra fazer isso).



Uma coisa que eu fico meio bobo, de boca aberta mesmo, ao ver em toda banda de K-POP é o extremo cuidado com as roupas. Não só roupa, mas com toda a imagem dos membros da banda. É lei que todo artista de K-POP vai ser um camaleão no visual: nunca será o mesmo de antes. Até mesmo as meninas aí de cima, do Crayon Pop, já mudaram de figurino (bem pouco, mas mudaram). Eu, particularmente, acho um misto de muita criatividade e cultura das aparências.

Por um lado, é realmente legal ver essas roupas malucas, criativas e completamente impraticáveis nos clipes. Por outro, acaba se desgastando cada vez que fazem mais e mais isso. Sei lá, é um ponto neutro ao meu ver.

A MÚSICA. Sim, eu devia ter falado dela antes né? Pois então. A música, muitas vezes, é aquela parada bem editada e eletrônica. É claro que existem cantores excelentes no K-POP, dos que mostram no gogó que o mundo não vive só de Adele, mas na maioria das vezes o que se vê são vozes igualmente editadas. Eu gosto, pra falar a verdade, mas muitos podem apedrejar essa prática. Se tu renega TODA a música pop, te deixo reclamar disso. Mas se tu gosta de cantar Rouge no banheiro e vem me falar merda por causa de COREANAS DELICINHAS CANTANDO, vai se foder FORTE.


Essa Minzy querendo espirrar <3 <3 <3 <3 <3

Inclusive, eu nem falei das garotas ainda né? Pra quem curte essa etnia, o K-POP é um prato cheio, completo, com todos os adicionais do Subway e refill grátis. E vou te falar que nem é pelo CORPÃO...que elas não tem, mas sim pelo conjunto da obra. São extremamente CUTE, com roupas que vão do fashion ao provocante, danças marcantes e, claro, os olhinhos puxados -3-

(Sim, é claro que a maioria fica horrorosa sem maquiagem, mas até aí a Scarlett Johansson também, então qual o ponto aqui?)

Mas voltando às músicas. Eu curto eletrônico. Curto trance, house, drum&bass, shuffle, DUBSTEP -'-, disco. E o K-POP dificilmente foge desse gênero. E quando foge, EU, Adler Gostoso Ferreira, acho chato. Enfim, são na maioria músicas animadas, divertidas, daquelas que tu se soltaria no Just Dance. E elas ganham um BÔNUS DE FODICE+5 se fazem clipes criativos, engraçados, com boas temáticas. Exemplo mor disso é, por exemplo, Dirty Cash do BIG BANG



Relembrando: são músicas divertidas, eletrônicas na maioria, com pessoas lindas as cantando/dançando, com clipes musicais criativos...acho que descrevi a Katy Perry certo?

E é bem isso mesmo. É quase que o mesmo pop desses lados de cá do planeta, só que oriental.


Lembrei do Oriental Magic Show agora. O que me traz a pergunta: por que ele usa batom?

AGORA, falta falar das bandas. CALMA, não são muitas, não vai ficar enorme (já está, na verdade). E são elas:


BIG BANG
A única banda masculina que curto. Acho que é mais pela personalidade deles, nem sei. Ouvi muito as músicas deles quando trabalhei em eventos de anime, então meio que virei fã à força. Mas ainda curto pra caramba, em especial o Seungri, o rapaz da esquerda-centro. Porquê? Sei lá, só sei que fui com a cara dele, e um dia fiz uma piada com o nome dele que acabou virando meu nick no twitter (@sem_grillo)

Tem várias músicas deles pra lembrar, mas vai aqui uma famosinha (merecidamente):




2NE1
Lindas. Excelentes. Tchutchucas. Delicinhas. Com atitude. Minzy.

Eu sou maluco por elas. Uma girl band que, pelo menos recentemente, saiu da pegada clichê "cute girl" e se consagrou como "WOMAN BAND" (eu inventei essa palavra). São mulheres de atitude, CL (a vocalista vesguinha) tem um ar dominante que me deixa arrepiado. Minzy é meu desejo certo caso eu consiga as 7 Esferas do Dragão. As outras duas são ok.


Me ganharam com essa música:



Saldo Final:
Gente, fãs, vamos combinar uma coisa: K-POP é Anitta de primeiro mundo. Tão comercial e sexy quanto. Não adianta vir dizer que não tem essa certa futilidade comercial, algo feito claramente com foco em visual ao invés de MÚSICA mesmo. Admita logo isso e, assim como eu, assuma que apesar de tudo isso, é divertido e maneiro pra caralho. Eu curto sim esse gênero, com todos os seus defeitos.

Com certeza existem pessoas que vão ler (talvez) tudo isso e ainda irão cagar para o K-POP. Sem problemas caras, vocês tem esse direito. Mas com certeza eu consegui colocar uma pontinha de curiosidade dentro de alguém. E no fim eu acho que é isso que me move para conhecer cada vez mais o K-POP: curiosidade. Quero saber como é esse país, essa cultura, essa adoração pela moda maluca, por essa "ostentação" de figurinos, esses costumes. A NEW WHOLE WORLD.



Enfim, deem uma chance (sempre peço isso aqui) e deixem de serem caretas. E sem essa parada de "aff, coisa de viado". Afinal, eu estou admirando anjos asiáticos (pleonasmo) de pouca roupa e que cantam coisas sobre amor e, dependendo da banda, uma certa putaria. E tu aí se espremendo entre 5 malucos suados pra assistir futebol.

Nota: 8/10 (Perde pontos pela leve futilidade que as bandas geralmente tem, mas ainda diverte)

Nenhum comentário:

Postar um comentário