sexta-feira, 1 de novembro de 2013

Desafio dos 40 Jogos - N°7 - Melhor jogo de PlayStation 1

Em um dia tão especial (sexta-feira, dia oficial de sentir prazer), trago mais uma parte do Desafio, igualmente especial e magnífica.

Se trata do MELHOR JOGO DE PS1, que o Ricardo insiste em falar que se chama PSX, mesmo que PSX na verdade seja um outro console da Sony que em nada tem a ver exclusivamente com o PS1, mas ok.

Bem, são cacetadas, toneladas, baldes e bacias de jogos. Eu tenho certeza que o nome que surge na cabeça de todos é FFVII, ou o sucessor que o pessoal mais entendido diz ser melhor. Não, não é nenhum desses. Muito menos Crash, que é infelizmente o mascote desse console. Também não chute Chrono Trigger, pois, olha só, não é.

O meu jogo favorito do PS1, logo, o melhor, na minha opinião, é alguém que me fez sonhar em 1999/2000 com cipós e cachoeiras. É o MEU filme favorito da Disney, minha pecinha de ouro que me rendeu tantas emoções. Ele não é só o rei da floresta, é também o rei do PS1, e veio pra dizer:

"MIM SER TARZAN!"





Ah meu deus, eu sabia que esse dia chegaria. Preciso pegar minha almofada chamada "Infância" e segurar ela enquanto lhes descrevo a magia desse jogo.

Mas vamos lá. Tarzan é um jogo de ação/plataforma lançado no mesmo ano do filme, claro. Aqui, duas fórmulas de jogos se enfrentam, e uma delas sai vencedora. Ou seja, ainda que Tarzan seja um jogo de adaptação de um filme (sinal de jogo merda), o fato de ser um jogo da DISNEY muda tudo isso, ainda mais com o envolvimento da Disney Interactive e da Eurocom, sendo essa última a desenvolvedora de outros ótimos jogos como Hércules e Atlantis.

Mas bem, como se joga esse raio? O bacana aqui é que você não apenas encarna o personagem-título, você vive a INFÂNCIA dele e depois a vida adulta. Isso é simplesmente foda, pois jogar com o Tarzanzinho é toda a graça do jogo, com sua inocência em cada inimigo, fase, ataques.



É legal perceber, como eu quis dizer ali em cima, como a época dele de criança difere da época adulta. Enquanto menino, os inimigos são inocentes macacos, filhotes de babuíno, pássaros. As fases são bem claras, limpas, com bastante flor e vida por onde quer que ele vá. Enquanto que nas fases adultas, vemos uma floresta mais negra, com espinhos te atrapalhando por todo lugar, sem contar que tu enfrente o seu primeiro boss, a FILHADEUMAPUTA da Sabor, essa onça-pintada LINDA <3

O jogo vai acompanhando, MAAAAAAAAAAAAAAIS ou menos, o filme. É claro que alguns recheios de embutido de carne são feitos, mas tudo com muito respeito ao espírito da trama. Dá pra dizer que o jogo estende, de forma muito gloriosa e gostosa, a história nos contada no cinema. Ainda assim, os momentos-chave do filme estão todos lá, prontos para serem revividos com muito amor, como o salto no lago dos elefantes, a minha fase favorita *o*



Durante o jogo, se estiver na dificuldade média, a Terk vai aparecer em vários momentos para te dar dicas. Inclusive, só a minha cabeça explodiu quando descobri que aquele gorila-neymar era uma MULHER?!?! Porra, e a dubladora ainda tinha voz de sapata, isso não ajudou em NADA!


"Shimbalaiê ♫"
Já que mencionei minha fase favorita, deixa eu falar de COMO eu consegui passar anos sem zerar esse jogo por causa de UMA FUCKING UNICA FASE. Eu sempre jogava a parte da infância toda do Tarzan. Se não me engano, são umas 4 fases com ele nessa idade. As 3 primeiras são incríveis, longas e bem bonitas. No final da 3, tu pula do penhasco em direção aos elefantes, igual no filme. E tu lembra o que vem logo depois? A PORRA DA MANADA DE ELEFANTES. Vocês conhecem esse tipo de fase né? Normalmente a câmera está de frente para o personagem controlado, tu tem que correr de algo que tá vindo atrás de ti, desviando de tudo que for possível.  Tem isso em Atlantis, tem isso em Rei Leão (se não me engano) e, bem, tem isso aqui, e foi essa parte que me fodeu lindamente. Eu tinha MEDO dessa fase, porque sempre perdia. Sempre pegava um caminho errado e acabava pisoteado pelo Fat Family. SEMPRE. Claro que, como todo jogo, depois de anos eu fui rejogar essa fase e foi mais mole que pudim.


Olha galera, esse jogo é mágico e PONTO. Tu tem ideia do quanto que é legal atacar os inimigos com frutas coloridas de poderes bizarros? E pior que eu não sabia a diferença mesmo. Tinha a vermelha, uma azul, a amarela infinita. Tu depois pegava a pontinha de pedra da sua lança, para ataques de perto. E o fundo? E O FUNDO DA FASE?!?!? ERAM PINTURAS LINDAS VELHO, PINTURAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAS!!!

A trilha sonora lembrava bastante o filme, mas dava o seu próprio ar de "aventuras infantis na selva". E eram aventuras bem bobinhas mesmo, como as fases bônus de andar em cima de uma ema, tendo que guiá-la para pegar as moedas. Ou os momentos que tu tinha que ficar pulando em cima das costas de algum animal selvagem (provavelmente feito de MOLAS, já que ele te jogava lá pro alto, igual o clima do Naldo) para ficar pegando frutas, moedas. Para abrir artworks secretas, tu precisava pegar 4 pedaços do desenho que a Jane fez daquele macaquinho em todas as fases. Tu sabia que tinha chegado no fim da fase quando via o guarda-chuva da Jane, que se abria quando você chegava perto e finalizava aquele estágio.

Enfim, esse jogo é completo. Foi (e é) excelente para crianças, tipo eu. Também não enjoa com o tempo, pelo contrário, só te dá mais saudades de voltar lá e zerar aquela merda (que, como vocês sabem, eu não consegui).

Um perfeito jogo para um perfeito filme. Disney, eu vou precisar fazer muita caridade na vida para poder pagar os pecados de ter falado tão mal de você na vida. E enfim, tenha fé em tudo que acredita :)


Nenhum comentário:

Postar um comentário