quarta-feira, 20 de novembro de 2013

Desafio dos 40 Jogos - Nº13 - O Melhor Jogo de Nintendo 64

E vaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaamos à um posto especialíssimo deste Desafio. Se trata do MELHOR JOGO DE NINTENDO 64, este console mágico e que fez toda a diferença na minha vida quando eu perdi meu Playstation One ):

É engraçado ver que foi justamente o 64 o primeiro console que eu joguei na vida, pois meu pai o tinha desde que eu nasci. Depois, consegui um próprio, um meu, onde eu jogava de Banjo à Kirby, de Deadly Arts à Clay Fighter, de Super Smash Bros à Flying Dragon. Essa obra prima da Nintendo mudou minha vida, e cabe a mim escolher qual foi seu jogo que mais teve impacto no mundo.

Bem, segurem-se em seus clichês e mimimis, pois é óbvio que irei dizer que é SUPER MARIO 64





(Atenção: Leia o post inteiro ouvindo esta música)

Ah minha glândula de nostalgia, está pingando de tantos tremeliques que está tendo. Super Mario 64 é um MONUMENTO de jogo, feito para SELAR, se já não estava bem claro, que VIDEOGAME É ARTE.

Eu vou ficar extremamente apaixonado e animado aqui no texto, então perdoe qualquer exagero que você achar, bem, exagerado.

Enfim, O JOGO. Vamos falar da história:

Princesa Peach, aquele pêssego de moça, convida nosso encanador italiano para colar lá no castelo dela, no Reino dos Cogumelos, para comer um bolo que ela assou para ambos (HM, SEI). Tudo certo e lindo até o MARIO, aquele que te encantou mais que o Romário, chegar no tal castelo e descobrir que seu pior inimigo, o CHROME/FIREFOX/OPERA/IE, raptou a querida Peach e se escondeu no topo das torres. Agora o baixinho bigodudo vai aprontar várias confusões nessa aventura do barulho que promete estremecer esse castelo, tudo pra ganhar as malditas estrelas que, espalhadas por várias fases, dão acesso à mais salas e, por sua vez, ao Bowser.



Então senhores, já jogaram Super Mario 64? Eu acredito quase impossível que não, mas para os poucos que não tiveram essa dádiva, vamos lá. Este foi um dos primeiros jogos lançados junto do Nintendo 64, fazendo parte daquela antiga tradição da Nintendo de sempre lançar um jogo do Mario junto de seus novos consoles.

Uma curiosidade: este jogo estava sendo desenvolvido pelo Shigeru Miyamoto para o SNES, pois ele pensava em usar o chip Super FX para rodar aqueles gráficos, mas no fim optou por lançar para o 64, pois seu controle tinha mais botões.

Assim, nosso jogo é lançado e vira um sucesso. É de longe o jogo mais vendido do Nintendo 64, e, em 2003, chegou a marca de 11 milhões de cópias vendidas. E mereceu: Super Mario 64 é considerado por muitos, incluindo o doutorado em jogos, EU, como um dos jogos mais revolucionários da história dos games.

Mas POR QUE este jogo revolucionou tanto? Por que ele chegou onde está? Por que fez uma criança cabeçuda e de barata na cabeça ficar tão feliz?



Primeiro de tudo: assim como Jojo's, Mario sabe se reinventar, admito isso. Após uma grande série de jogos 2D de plataforma, todos bem consagrados, Super Mario 64 dá adeus à essa época e abraça um novo estilo, estilo esse que influenciaria muitos outros jogos de aventura que viriam pela frente como Banjo-Kazooie, Spyro, Muppet Adventures e muitos outros. É a câmera multi-angular, o mundo vasto e totalmente explorável, os desafios cada vez maiores e que fazem mais uso da estética 3D. É uma aventura baseada em obstáculos e puzzles, e principalmente em exploração.

Pois é explorando, se aventurando DE VERDADE pelas fases que você se diverte, se emociona com a beleza dos temas musicais associados aos cenários que, ainda que tenham uma aparência bem clara de que são de um jogo, ainda te surpreendem e agradam os olhos, principalmente os olhos daqueles que em 1996 não tinham visto muitas coisas em 3 dimensões.

Outro fator que define este como um dos melhores jogos da época é a praticidade que ele proporciona para que você jogue da forma que quiser. Como assim, você se pergunta, e eu explico. O jogo funciona da seguinte forma: você coleta estrelas nas fases. Novas fases abrem com um número X de estrelas. Assim, dependendo de como você completa esse número, pode acontecer de você nem completar as telas, tem até mesmo a chance de você zerar o jogo sem ter visitado uma única vez algumas fases. Assim, sua jornada acontece do jeito que você quer, com o caminho que achar mais rápido e/ou mais fácil. ISSO é algo a se elogiar e admirar, pois diferente de Crash (AQUELA MERDA), onde você está preso linearmente à fase, não podendo fazer as coisas como quer, Super Mario te entrega um ENORME mundo nas suas mãos, te dá os bonecos e fala "vai lá, pode brincar como quiser".



Uma coisa que só Super Mario 64 sabe fazer? Me fazer sonhar acordado. Tem fases onde você só pode chegar à conclusão de que está sonhando acordado, de que aquilo tudo é uma viagem belíssima da sua mente. Ou vai me dizer que apostar corrida na neve com um pinguim, ser usado como bala de canhão e voar com um chapéu por aí não parecem coisas dignas de uma tarde de domingo bem dormida?

Eu sei que o elemento fantasioso sempre esteve presente nos jogos do Mario, mas foi somente neste jogo tão aberto, livre e vivo que eu pude sentir essas diferenças, só nesse jogo eu percebi o quão maluco e sonhador é o mundo de Mario e todos os seus elementos. Fui muito feliz de ter jogado ainda criança esta maravilha, pois acho que é a época onde nossa imaginação mais se expande e se aventura.

Vamos também falar aqui dos pulos né? Afinal, o personagem que era conhecido antigamente como JUMPMAN não poderia deixar de pular, e não só um pulo, mas vários tipos diferentes. Estrelinhas, saltos mortais, saltos triplos, saltos nas paredes. Tudo requer um diferente tipo de pulo, e é impossível não sorrir quando aquele mortal tão sofrido finalmente atingiu o local que você queria. O momento é ainda mais satisfatório por causa da pequena risada de alegria e conquista que o personagem dá em todos os saltos que faz.


Sandy & Junior amam esse jogo
Vamos falar da trilha sonora? Esta aqui foi feita genialmente pelas mãos do mestre musical dos maiores jogos da empresa, Konji Kondo. É creditado à ele também as trilhas de Super Mario World, os 3 Super Mario Bros., Ocarina of Time, Starfox 64.

Além da música que pedi para você ouvir lá em cima, ao ler o post, temos muitas outras que enfeitam e nos presenteiam belas fases. Inclusive, dá pause na música lá de cima e ouve essa aqui de baixo, referente às partes aquáticas do jogo, e me diz se não tem todo o feeling de mundo submerso.



Incrível ou não? E olha que é apenas UMA das 36 músicas originais desse jogo, sendo que, obviamente, não postarei todas aqui. Mas vale a pena ir atrás e ouvir grande parte delas para quem nunca ouviu antes.

Bem, o post tá grande o suficiente? Então posso já falar das incríveis batalhas contra o Bowser, todas se passando no "Dark World". São fases visivelmente mais pesadas, todo aquele clima de sonho se inverteu e agora tudo lembra um pesadelo. Música pesada, mais sufocante. Desafios bem mais perigosos, um fundo infinito para te dar medo da altura. Fogo, bolas magnetizadas, espinhos. Você realmente foi para o negativo das fases anteriores e agora passa por tudo que tem de pior. Isso até chegar ao Bowser. É aí que, no meio da batalha, você relembra que está sonhando, que aquilo é um lindo mundo de aventura, tudo isso no momento que Mario agarra a cauda do vilão e começa a girá-lo, o lançando em direção às bombas que cercam a arena onde ambos estão. Só pra avisar: eu tinha um cagaço desses embates, e é incrível como hoje em dia o tamanho do Bowser ainda me surpreende.



E é isso amigos, espero ter lhe convencido do porquê de eu amar tanto essa trojoba poligonal. Eu sei que, hoje em dia, é feio, comparado aos avanços tecnológicos e toda essa merda, mas ainda estou para ver um jogo de aventura que me faça delirar e sonhar lucidamente. Inclusive, está aí a melhor definição que poderei dar à esse jogo: um belo e longo sonho lúcido, que, assim como os sonhos, deixa saudades quando se acaba.

Até mais :)

Nenhum comentário:

Postar um comentário