quarta-feira, 13 de novembro de 2013

POR QUE NÃO? - Jojo's Bizarre Adventure

Saudações atrasadas por um dia, amigos e amigas. Venho me redimir com vossas pessoas e pedir perdão pelo dia sem post de ontem. Eu acabei não vindo ao trabalho tão cedo e fiquei sem tempo para postar. Mas hoje vamos continuar com a rotina. Deixemos as Perguntas para semana que vem. Hoje é dia de recomendação, e, como o ciclo se fechou, voltamos para a recomendação de Mangá/HQ, e dessa vez eu vou arrasar ok?




Informações Básicas:
Nome do Mangá: Jojo's Bizarre Adventure (Jojo no Kimyo na Boken)
Nome do Mangaká: Hirohiko Araki
Período de publicação: 1987 - Ainda publicado.
Número de Volumes: 109
Número de Capítulos: 871
Gênero: Shounen/Seinen/Aventura/Ação/Horror/Suspense


Sinopse:
A trágica e longa história desse mangá sempre ronda a família Joestar. O mangá é dividido em partes (até agora, 8), e cada uma dessas partes retrata a vida de um membro da família. O protagonista, que sempre possui um nome que pode ser apelidado de JoJo (Jonathan Joestar, Jotaro Kujo, Giorno Giovanna), normalmente enfrenta inimigos sobrenaturais, como vampiros, zumbis, monstros e etc. 

O plot de cada parte do mangá sempre difere muito: A Parte 1 é uma história de terror, suspense. A Parte 2 já é sobre ação, lutas, porradaria. A Parte 3 tem um pézinho na ação, mas se foca principalmente em aventura. Ou seja, é um mangá que se reinventa à cada arco novo, não deixando que a história fique ultrapassada, velha.

Entre constantes em todas as partes do mangá, posso citar a técnica de combate conhecida como "Stand". Stands são as formas que os espíritos de indivíduos com grande poder paranormal tomam quando alcançam certo nível de poder. É algo que apenas pessoas com forte determinação, com um espírito grande e forte, podem alcançar. Normalmente, esses Stands tomam a forma humanoide que mais represente a "psiquê" de seu usuário.


Exemplo de Stand

Stands batalham entre si. Os danos causados ao Stand se refletem em seu dono, e vice-versa, salvo algumas raras exceções. Tudo o quê o Stand vê e ouve pode ser visto e ouvido pelo usuário. Assim, esse poder acaba virando uma extensão do corpo do indivíduo, como um clone etéreo que pode ser invocado à qualquer momento.

Concluindo a sinopse, outro grande fator recorrente da história de Jojo é que todos os personagens e as histórias são interligadas, seja por vários fatores ou por mínimos. Normalmente, a ligação é o parentesco entre os protagonistas. Porém, como na Parte 7 e 8, as ligações acabam sendo apenas os poderes, já que é justamente na parte 7 que ocorre um "reboot" da história e começamos um novo Universo.

Porquê você deve ler isso:
Bem, como eu disse, esse é um mangá que se renova à cada época, acompanha seus fãs, não abandona os conceitos adorados por todos, porém, sempre adiciona algo de novo na trama, vai se transformando à cada parte para que não fique velho e ultrapassado. Só assim o mangá consegue se manter até hoje, sendo a segunda mais longa publicação da Shueisha.

Além disso, devo dizer que, até onde li, que é exatamente o capítulo 218, ou seja, até quase o fim da Terceira Parte, o mangá evoluiu e muito. Já na Parte 2 (que tem o título de "Battle Tendency"), a história consegue elevar sua qualidade e o desenho do artista consegue ficar estabilizado. A trama segue caminhos mais verídicos e os acontecimentos envolvendo os personagens passa a ter mais peso para o fã. Eu não quero te desanimar à ler a Parte 1 ("Phantom Blood"), mas ela é bem fraca perto de tudo o quê vem depois. Ainda assim, recomendo que aguente essa tortura e leia essa saga, que serve muito bem como prólogo para tudo o que virá pela frente. Sem contar que, caso você tenha lido ela, a Parte 3 ("Stardust Crusaders"), tida pela maioria como a melhor fase do mangá, fica ainda mais foda, principalmente o vilão.


Poder da anatomia

Caras, amigos, leitores. Estamos diante de um CLÁAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAASSICO mangá que mais do que merece sua tentativa. Estamos falando de uma obra que se estendeu por mais de duas décadas e ainda consegue render bastante. O segundo volume da parte 8 ("Jojolion") foi o segundo mangá com maior vendas em sua semana de publicação, praticamente um recorde. Isso é ou não é um feito à ser admirado e reconhecido?

Para quem tá achando a arte MÁSCULA LIKE A BOSS, saiba que o autor se inspirou muito no meu outro mangá indicado, Hokuto no Ken. E que ambos, por serem publicados nos anos 80, se baseiam em clássicos filmes de Hollywood.

Jojo ainda vai mais longe: uma cagalhada de personagens, em todas as partes, tem seus nomes baseados em bandas de rock ou ícones pop. Um exemplo é o maior vilão do mangá inteiro, Dio Brando, sendo DIO o cantor de metal e Brando o sobrenome de Marlon Brando. Algumas referências são, assim como a citada acima, bem leves, enquanto que outras chegam a ser bem óbvias, como um Stand que se chama Red Hot Chilli Peppers. É um toque cômico e bem interessante nessa obra já tão referenciada.


Conseguiram até nomear um personagem como Vanilla Ice
Se tudo isso não basta, saiba que essa obra foi um dos pilares inspiracionais de vários artistas, tanto é que, no aniversário de 25 anos da obra, um artbook foi lançado onde praticamente todos os mangakás que tu conhece e curte fizeram desenhos para homenagear esse mangá, entre eles Eiichiro Oda, Masashi Kishimoto, Akira Toriyama, CLAMP, Tite Kubo.

Quero separar e falar em especial das batalhas da Parte 3. Apesar das primeiras serem mais ou menos chatinhas, quando a viagem que os protagonistas está em seu auge, batalhas INCRÍVEIS acontecem, sendo que as melhores são justamente aquelas onde não há superação de conflitos na base da força, mas sim na base da inteligência. Aqui fica bem claro que o mangá é uma grande aventura, um grande conto de heróis. Denoto o embate (é spoiler, mas não muda sua vida, então leia) entre um dos protagonistas, Jean Pierre Polnareff, e um vilão sádico chamado Alessi. O Stand desse Alessi é uma sombra bizarra que, quando toca outra pessoa, à rejuvenesce na medida enquanto a pessoa está tocando a sombra. Polnareff, que tocou brevemente o Stand, fica na idade de uma criança de 10 anos, mais ou menos. Aí, meus amigos, temos uma caçada completamente divertida e ofegante do maníaco Alessi, que chega à referenciar O Iluminado em uma cena, ao pequeno Polnareff, que consegue vencer o vilão com inteligência alá Esqueceram de Mim e também com a ajuda do BADASS da parada, Jotaro Kujo.


"Heeeeeeere's Lessi!!!"
Saldo final:
Enfim, espero ter lhe convencido a se aventurar junto com os Joestar nessa história bizarramente boa. Você vai perceber a evolução de Hirohiko conforme o tempo e as Partes passam, até chegar ao ponto onde percebe que tudo ali é muito bem escrito e desenhado, com inimigos e situações que você nunca pensou que veria antes. É uma excelente pedida para você que está na seca por um grande mangá para lhe tirar do tédio. Vamos torcer, por fim, para que tenhamos logo a publicação inédita no Brasil, quem sabe.

Nota: 9/10 (-1 ponto pela Parte 1)

Nenhum comentário:

Postar um comentário