quinta-feira, 21 de novembro de 2013

POR QUE NÃO? - Abingdon Boys School

Muito bem garotada, vamos dar as mãos, que tal?

Muito calor para isso?


Tudo bem, então nos juntemos mentalmente, onde tudo é fresco e gelado, e vamos abraçar a recomendação dessa semana, que veio gritando, pulando, esperneando e implorando para ser desejada. Bora ouvir um ABS




Informações básicas:
Nome da banda: Abingdon Boys School
Ano de estreia: 2005
País de origem: Japão
Gênero: Rock Alternativo
Membros:

  • Takanori Nishikawa (Bicha menor) - Vocais
  • Sunao ("Filha, peguei a chapinha emprestada" da ponta esquerda) - Guitarrista
  • Hiroshi Shibasaki ("Chapinha Geriátrica" da direita) - Guitarrista
  • Toshiyuki Kishi ("Saudades cabelo" da ponta direita) - Teclado e Mixagem

Sinopse:
Tudo começa com TAKANORI NISHIKAWA. Foda-se a banda, foque-se apenas nesse nome. Ele É a banda, o resto está ali pra figuração. Enfim, este cara já tinha um histórico na música. Além de ter feito parte de uma banda chamada Luis-Mary, que tinha o estilo "visual-kei"(Nova Aba>Google>Imagens>WTF) clássico do Japão, ele já era bem famoso por causa de sua carreira solo, onde se apresentava sob o nome de T.M.Revolution ("Takanori Makes Revolution").

Pois em um certo dia maluco de 2005, este cara resolveu que tava afim de começar uma nova banda, agora no clássico estilo ROCK ROOTS. Assim, ele chamou Sunao, um guitarrista que não tem informações relevantes nem na sexta página de pesquisa do Google. Juntos eles conheceram Hiroshi Shibasaki, ex-guitarrista da banda Wands. Esses três jovens (ha) começaram a debater sobre iniciar essa tal banda nova, voltada para o rock experimental. A chance de estrear esse projeto veio com um convite para eles produzirem uma das músicas para o álbum-tributo à Nana, aquele mangá/anime/seriado bacana sobre Batman. Eles apresentaram um demo para o produtor Toshiyuki Kishi, que curtiu tanto o som que resolveu comprar uma peruca e se juntou aos rapazes de 40 anos. Assim, começou o ABS.

Exemplar de Nana
Antes de falar dos vindouros sucessos da banda, preciso explicar a razão por esse nome. Tem várias explicações para o nome, e, sinceramente, algumas delas são meio estranhas ("Devido ao amor que Takanori tem por freios de carro ABS"). Mas vale a pena listar aqui, e nós fingimos que deve ser isso mesmo.

Bem, Abingdon School é uma escola (Efeito Sonoro Inception) da Inglaterra, por acaso a mesma escola onde o Radiohead foi formado. Eu poderia derramar sobre esse post o nojo que eu tenho pelo vocalista do Radiohead, mas isso não vem ao caso. Também é dito que a abreviação, ABS, lembra a pronúncia de EBISU, distrito japonês onde supostamente a banda se originou. Por fim, como todos são quarentões de chapinha, eles são da mesma geração, e todos se apaixonaram pela música na escola, então o nome é uma tentativa de voltar à esses anos dourados onde tudo era bonito e poético, e também a época que eles não tinham rugas.

Não me mencione, Adler-kun. As pessoas podem te odiar por isso.
Enfim, a banda foi fazendo cada vez mais sucesso, e merecidamente. Após o projeto de Nana, eles também fizeram um (EX-CE-LEN-TE) cover de "Dress", música da banda BUCK-TICK, que foi parar no CD de tributo à banda original.


Só em 2006 que eles finalmente anunciaram que, através da Sony Music Japan, lançariam seu álbum de estreia, "Abingdon Boys School", que só foi lançado mesmo lá em Outubro de 2007. Ele ocupou o segundo lugar do ranking de vendas da Oricon. Eu não sei o que é Oricon, mas se está na Wikipedia, julgo eu que seja importante, então vamos nos surpreender com esse feito.

A banda, após sucesso garantido no Japão, foi fazer turnê pela Europa inteira. Essa internacionalização das músicas (graças ao inglês perfeito de Takanori) logo estaria estampada no segundo álbum de estúdio deles, "Abingdon Roads", que tem como tema as viagens internacionais.

Porque você deve ouvir:
Olha, eu não gosto de MUITAS bandas japonesas não. Na maioria das vezes, eu curto apenas uma música da banda em questão, quase sempre relacionada à algum anime. Porém, com ABS foi totalmente diferente. Eu fui atrás de suas músicas e me surpreendi com a qualidade que todas apresentavam, seja pela perfeita pronúncia do inglês ou pelas mixagens animais. A mistura do rock pesado, as letras bonitas e os efeitos de mixagem adicionados por Toshiyuki foi o suficiente para meu coração explodir em amor, e todo esse sentimento era direcionado ao Takanori, a voz de ouro do Japão.

Que Jeová permita que o vídeo seja o certo

E eu já amava o cara fazia tempo e nem sabia. Por causa justamente de T.M.Revolution, que o nome não me era familiar, mas fui descobrir depois que a SEGUNDA MELHOR ENDING de Samurai X era justamente dele, "Heart of the Sword". Estava explicado então o porquê daquelas músicas todas estarem grudando na cabeça. Tudo vinha do mesmo gênio, do mesmo mestre, do mesmo ídolo. Só pra avisar, se você o achou bonitinho lá na foto de cima, não se surpreenda se você for pesquisar por mais fotos dele e achar coisas como essa:

He He He, meu ídolo é tão legal...
Agora, por onde eu conheci a banda é mais curioso ainda, principalmente porquê é um elemento constante na história deles. Eles fizeram a magnífica abertura do jogo "Sengoku Basara 2 - Heroes" (que é a primeira música deles que eu postei, lá em cima). Eu amo esse jogo, e devo muito disso à abertura magnífica que o jogo tem. Qual seria a minha surpresa, então, quando eu descobri que a banda e essa série de jogos tem toda uma história juntos. Takanori fez músicas tanto para todos os jogos de Sengoku Basara quanto para duas temporadas do anime (que é uma merda, o anime, claro). E sempre que sai algo novo dessa série, é certeza de que o cantor estará envolvido de alguma forma, nem que seja para dublar alguém. E isso eu achei muito bacana, pois consegui juntar duas paixões distintas em um só momento, que era jogar ouvindo aquela música foda.

Mas Takanori parece que tem paixão por anime mesmo: uma porralhada de suas músicas, sejam elas solo ou com a banda, sempre acabam fazendo parte da abertura ou créditos de algum anime. Temos "Howling" como abertura de "Darker than Black", "Innocent Sorrow" como primeira abertura de "D.Gray-man", "Nephilim" como música dos créditos do jogo "Folklore".


Saldo final:
Enfim, a banda não lança nada já faz um ano, sendo que a última coisa lançada foi um singelo single e mais nada. Mas como eu voltei a ouvi-los recentemente, achei uma boa vir aqui e lhes recomendar essa banda FODA e que vai fazer você esquecer qualquer trauma japonês. Inclusive, se tu é um babaca que não se deixa conhecer a cultura japonesa por seus preconceitos imbecis, vai tomar no seu cu, só pra deixar claro.

A banda tem tudo pra fazer você se animar, caso curta rock. Até mesmo suas músicas instrumentais conseguem passar diversas sensações, como melancolia e adrenalina. Vale a pena esse clique no play.

Nota: 8/10

Nenhum comentário:

Postar um comentário