terça-feira, 29 de outubro de 2013

Adler Responde #4

Mais 7 dias se passaram, mais perguntas chegaram e tá na hora delas serem respondidas. Arruma seu banquinho na posição mais confortável possível e vamos ver o que o ASK me deu hoje.




Você disse que gostaria de fazer publicidade e propaganda, então me diga o que te fez escolher essa área?
R: Bem, foi uma série de eventos/pessoas que me fizeram optar pela Publicidade. Tudo começou, sem eu desejar, quando eu fiz O curso técnico de Marketing na ETEC. Eu tinha escolhido esse curso meio que aleatoriamente, considerando mais a localização da escola do que o conteúdo do curso em si. Lá, acabei descobrindo muitas coisas legais, muito conhecimento que, subconscientemente, foi me indicando que minha criatividade seria melhor aproveitada em propagandas e não em textos informativos.

Um ano depois de me formar, eu fui ler uma revista Mundo Estranho que explicava pouco detalhadamente todos os profissionais que trabalham para que um jogo seja criado,aprovado e publicado. De todas, a que mais me chamou a atenção foi a parte publicitária, que, na minha memória, tinha me rendido acontecimentos bem maneiros como ações publicitárias na Paulista, patrocínio de canais do Youtube que eu gosto pra caramba, banners em metrôs e prédios. Foi aí que eu consegui juntar aquilo em que eu era bom com aquilo que eu mais gostava. Claro que, com o tempo, fui aceitando que na minha vida profissional eu não poderia trabalhar apenas com games, mas quanto mais eu me aproximasse do tema, melhor seria. 

A ideia da publicidade casou perfeitamente com meu interesse em fazer algo na internet, e é nesse ponto onde TUDO o que eu sei fazer, TUDO o que eu gosto e toda a minha personalidade se fundem e dão início para o meu projeto pessoal, que é o site que eu já cansei de mencionar aqui. Como disse em algum Adler Responde lá para trás, meu sonho é ser o HOMEM SOCIAL MEDIA, que englobaria blog (olha só), vlog, site, artigos escritos para quem precisasse, publicidade, marketing.

Enfim, foi tudo isso que me abriu os olhos para a Publicidade e, consequentemente, para essa nova vida que almejo.


Qual a sua posição contra fumar?
R: Tá aí uma pergunta que pode ter várias respostas. É um assunto complicado, mas que eu tento ver da seguinte forma:

É sabido que cigarro mata, ponto. Também é sabido que refrigerante te faz um baita mal (meu intestino que o diga). Assim, acho que quem reclama de cigarro mas, por outro lado, mama Coca-cola todo dia, não tem muito direito de reclamar ou criticar quem é adepto do primeiro vício.

Eu tenho amigos fumantes. Tenho um irmão fumante. Sei que, na teoria, eles vão morrer prematuramente (com uns 50-60 anos, eu acho). Eu poderia falar que é uma idiotice, então, fumar, mas, vamos enxergar assim: a morte, como eu mencionei outro dia, é a nossa certeza na vida. Ela faz parte desse mundo e jamais vai deixar de ser, tentem o quanto quiserem. Assim, se a pessoa está encurtando seu tempo aqui de uma forma prazerosa (para ela), quem sou eu paga julgar? De certa forma, é bem poético e bonito você morrer fazendo o quê gosta, seja aquilo venenoso ou não. É claro que, com câncer de pulmão, poucos fumantes se orgulham da vida que levaram, mas não deveriam se arrepender não. Se você teve a coragem de fazer uma escolha, tenha a coragem de assumir suas consequências.

Acho válido também quem para de fumar e consegue. Nós somos cobaias de algo muito maior chamado VIDA, e é impossível, ou pelo menos muito imbecil, passar por essa experiência sem mudar de opinião diversas vezes.

Enfim, fume quem quer, beba Pepsi quem quer. Acho que no final todos vamos estar debaixo do chão, de qualquer maneira.


Gosta dos seus cabelos cacheados ou queria ter ele mais liso? E gosta de ser moreno ou queria ser loiro?
R: Isso é uma história antiga, e já teve seus altos e baixos.

Originalmente, eu sempre odiei meu cabelo. Eu sempre quis fios lisos, sedosos, que pudessem ser moldados de formas mais livre, como os cabelos dos japoneses, por exemplo. PORÉM, são 19 anos convivendo com essa merda de cabelo, então invariavelmente a gente acaba gostando daquilo que tem.

Um problema grande que eu passo é que eu sou muito narcisista, então por diversas vezes eu acho meu visual, incluindo o cabelo, obras divinas. Porém, quando saio na rua, por um passe de mágica, começo a me incomodar com ele. Acho que está torto, ou que está pra cima. Quando minha testa fica muito à mostra então, só falta eu parir um filho feito de ódio sólido no meio da rua.

Mas eu já o aceitei, e de certa forma gosto quando ele está cacheado NA MEDIDA. Claro que eu prefiro os raros momentos que, sem explicação, ele fica mais liso naturalmente, mas os cachinhos vieram pra ficar, afinal. E muitos amigos curtem, então não tem porque eu me estressar com isso.

Quanto à cor, eu tenho saudade das madeixas louras e graciosas que eu tinha quando era bem novo, mas não trocaria minha cor atual por essa antiga. Acho que ficaria um pouco estranho, sei lá. Eu não sou o maior fã de cabelos loiros, acho que são raras as pessoas que ficam boas com ele. Mas, tanto faz. Poderia ter cabelos negros que ainda me acharia bonito. Não vou mudar minha cor, mas, caso aconteça, que seja.


Qual o seu arco favorito do Lanterna, e por que?‎
R: Olha, temos muitos aí para serem lembrados. Pra começar, eu conheço Lanterna Verde apenas do Geoff Johns, apesar de já ter lido muitas histórias antes dele. Mas vamos nos focar no trabalho desse autor que, com muito mérito, conquistou meu coração.

Eu diria que é "Sinestro Corps War" e tudo o que veio antes dele. Eu lembro que, em todo número que eu lia, fosse de Green Lantern ou Green Lantern Corps, havia alguma dica ou pista de que essa tropa do medo estava se formando. Quando finalmente vi ela como um todo, fiquei maluco. O Cyborg-Superman e o Superboy-Prime como os "guardiões" dessa tropa foram a cereja do bolo. E quando temos Kilowog vs Arkillo? Ou o embate ainda mais nonsense, Mogo vs Ranx. Eu pirei, e acho que vai ficar marcado como minha saga favorita, apesar de eu gostar muito de tudo que o Geoff fez.


Urso versus gorila. Quem ganha?
R: Rápido, assim, pá-pum? Gorila, principalmente se for o Kerchak.


Uma inspiração.
R: UMA só? Vou tentar então lembrar algo que não foi mencionado no post da semana passada.

Jim Carrey, eu diria. Gosto da forma como ele faz todo mundo rir, seja com imitações, caretas, frases, sarcasmo ou qualquer coisa vinda desse cara. No meu primeiro colegial, eu fiz uma biografia (bem porca) dele, e descobri várias coisas que me fizeram o amar mais ainda, como ele fazer stand-up em bares para ter dinheiro para a casa.

Amo todos os seus filmes e gostaria de cativar todos da mesma forma. Fica aqui o meu "Eu te amo, Jim Carrey" para ele :)



uatsondiú?
R: Eu realmente tentei imaginar o que essa frase significa. Está claro que ela é o som que se escuta quando falamos "What's on...", mas o finalzinho dela está bem difícil.

Já sei, vou interpretar como "What sound you?"

Entendendo como "Qual som te define", eu diria que é a música eletrônica. Apesar do rock e suas mil vertentes serem excelentes, é só a batida eletrônica e sintetizada que me "liga", entendam como quiser.


O quê você está vestindo neste exato momento?
R: Acreditam que essa pergunta sapeca e espoleta veio do próprio Ask? (Sim, eu respondo perguntas que o site me faz aqui, preciso encher esse quadro).

Bem, estou com minha nova camiseta da Chico Rei, que é toda branca e tem 9 artistas musicais lendários desenhados como se fossem bonecos de Lego. Devo mencionar que o bonequinho do Bob Marley segurando um baseado me incomoda MUITO.

Estou com minha calça favorita, que por sua vez é a que eu mais uso. Estou com uma cueca branca-acinzentada, que não tem tanta qualidade mas foi a primeira que peguei da gaveta. Estou com meias brancas com listras maneiras pretas, tão maneiras que um amigo meu já pediu pra eu dá-las para ele. Cobrindo essas meias estão meus All-star cinza-camuflado, porquê SIM.

Estou com minha aliança na mão esquerda, porque sou um rapaz de Deus. 

Estou com meu piercing tranversal e um brinco na orelha esquerda.

Por fim, estou, novamente, com meus óculos de lente sem grau, porque eu amo óculos e pessoas que o usam.

Ah sim, vim com minha jaqueta de couro que não é couro porque estava e está bem frio lá fora.

Nenhum comentário:

Postar um comentário