sexta-feira, 11 de outubro de 2013

POR QUE NÃO? - Scribblenauts Unmasked: A DC Comics Adventure

IEIEIÊEEEEEEEEEEEE garotada!

Amanhã é dia das crianças e eu não poderia deixar de postar sobre esse jogo. Que fique claro que 1) eu detesto o DS e 2) eu amo os jogos dele. Então vamos todos nos sentar, pegarmos nossos cadernos e embarcar em Gotham.




Informações Básicas:
Nome do Estúdio Criador: 5th Cell.
Nome do Desenhista: Warner Bros. Interactive Entertainment. 
Ano de publicação: 2013
Plataformas: Nintendo 3DS, Wii U, Microsoft Windows.
Gênero: Puzzle

Sinopse:
Bem, vale lembrar que nunca joguei algum Scribblenauts antes desse, então darei a história que vem NESSE jogo.

Nós conhecemos logo de cara Maxwell e Lily, dois irmãos que gostam de histórias em quadrinhos, as da DC Comics para ser exato. Em uma discussão sobre quem seria o melhor herói de todos (Max defende o Batman, Lily defende o Superman), ambos decidem irem até os próprios heróis e verem por si só. Isso só acontece graças ao caderno mágico de Max, que cria tudo aquilo que ele escreve, e ao globo dourado de Lily, que permite que ela se teletransporte para onde quer que apontem no globo. Assim, Max escreve "Gotham City" em uma folha do caderno e a encosta no globo, levando à uma explosão de luz. Ambos aparecem em Gotham, no meio da noite, e após descobrirem que outro portador de um caderno mágico veio junto com eles, a dupla de irmãos se unirá com os heróis da DC pra impedir o caos de reinar sobre ambos os Universos.


Porquê você deve jogar isso:
Preciso dizer o porquê dessa julúvia ser magnífica? É um sistema de jogo tão simples, óbvio e divertido, mas que ninguém pensou antes. Ele tem um "quê" de Little Big Planet, onde você pode seguir uma história ou você cria o seu jogo. Claro que nesse jogo em questão não dá pra mudar o cenário drasticamente, mas pelo menos tu pode criar uma Guerra das Luzes (eu fiz várias durante o gameplay)


Briguem, minhas formigas, BRIGUEM!!!
Então, pra quem quer seguir a história (que é muito divertida, por sinal), o jogo vai fluir do jeito que querem. Não tem cutscenes enormes, e as missões dadas pelos heróis são até que fáceis (no começo, pelo menos).

Você passa por diversas fases, cada uma é um local do universo DC, como Oa, Central City, Metropolis, Mansão Wayne, Watchtower, etc.

Em cada fase você enfrenta o maior vilão do herói daquela cidade E o seu próprio rival, um maldito Doppelganger que consegue invocar algumas coisas bizarras (como um Cthullu Vermelho de Monociclo).

Após "zerar" a história daquela cidade, tu consegue uma Starite, um elemento que já percebi ser recorrente da série. Esqueci de falar um fato importante no plot: o globo dourado de Lily quebra quando ela cai em Gotham pela primeira vez, então você, além de impedir seu clone de destruir tudo, tem que juntar várias dessas Starites para consertar o artefato de sua irmã e poderem retornar para seu próprio universo.


O embate que vai abalar o seu mundinho
Mas foda-se a história, meu companheiro. Gosto do plot, do enredo, das fases, mas o legal mesmo é o freeplay. É invocar um peixe de chocolate e fazê-lo brigar com uma pizza de topete. É passar as mini missões que as fases tem (antes e depois de completar a história dela) do jeito mais criativo possível.

Se você não jogou, não faz ideia de COMO É MANEIRO escrever o que quiser. Sério, tu invoca o que quiser.

Joguei Scribblenauts na casa de um amigo, o Ricardo (que vai gostar de ser citado aqui). Eu, como conhecia o jogo, quis mostrar pra ele o potencial do game, então ele resolveu desafiar a capacidade do banco de dados. Ele falava para eu invocar algo, e eu invocava. Um DVD voador do mal que segurava uma pistola (e me matou). Uma nuvem maligna que usava um sabre de luz (tive que derrotá-la usando um guarda-chuva demoníaco e raivoso). Uma succubus que explodiu uns 4 policiais e fez a missão dar errado.

Enfim, um mundo de possibilidades. Como puderam notar, você não cria apenas substantivos, mas também dá adjetivos pra eles. Tu pode se fazer invencível, gigante, voador, zumbi, dourado, feminino.


Max "Tio Sam" lutando contra um galináceo justiceiro

O vilão do Superman, Mister Mxyzptlk (e haja wikipedia), te dá umas restrições em algumas fases, tipo passar a fase inteira sem criar adjetivos, sem voar, só usando super-heróis. Isso faz um desafio maior, além de dobrar a reputação que ganha. Ah, eu esqueci de explicar sobre reputação né? Acontece que, já que estamos em um jogo de super-herói, não é legal resolver tudo invocando uma bomba atômica né? Então o jogo, através desse sistema, te motiva a ser criativo, a não repetir palavras na mesma fase, a não resolver os puzzles com armas, etc. Com esses pontos, tu pode comprar algumas coisas na Batcaverna, como "skins" dos super-heróis, que além de serem bonitas e adaptadas ao Max, te dão os poderes daquele herói.



Saldo Final:
Bem, por fim temos um dos jogos mais bacanas já criados, e que ganhou e muito com essa parceria com a Warner/DC. Para quem curte a série de jogos, é uma ótima continuação. Para quem é fã da DC, é um presente alado. Para quem é os dois, é um dos melhores jogos de 2013.

40 dólares na Steam, o que dá 80 reais, o que é barato para um jogo hoje em dia. Compra e se divirta.

Nota: 9/10 (Tem o universo que eu mais amo em minha vida, um gameplay moderadamente bom, um banco de dados que é praticamente todo dedicado aos fãs de quadrinhos, excelentes desafios. Uma pena que algumas mini-missões passam a se repetir com o tempo, e que o jogo, apesar de ter inúmeras possibilidades, tende à enjoar após um certo tempo. Enfim, nada é perfeito, mas esse jogo merece seu crédito.)

Nenhum comentário:

Postar um comentário