quinta-feira, 12 de setembro de 2013

POR QUE NÃO? - Hokuto no Ken

SEEEEEEEEEEEEEEEEJA bem-vindo à mais um quadro do Why Not (inclusive, essa deve ser a primeira vez que eu falo o nome do blog em um post). 

Perceberam quantos quadros ultimamente? Isso se chama retribuição, por vocês, lindos, que me acompanham.

E nesse novo quadro, o "Adler Aprova", irei RECOMENDAR livros, hq's, games, filmes, artistas do meu acervo pessoal de gostos. Vou procurar sempre falar de algo que não é famoso, para o efeito da recomendação ser ainda mais abrangente. E pra começar, vamos de HOKUTO NO KEN, ou FIST OF THE NORTH STAR (essa semana tá a festa dos otakus por aqui).



Informações Básicas:
Nome do Escritor: Buronson.
Nome do Desenhista: Tetsuo Hara.
Período de publicação: 1983 - 1988
Número de Volumes: 27
Número de Capítulos: 245
Gênero: Shounen/Artes-Marciais/Pós-apocalíptico/TESTOSTERONA.


Sinopse:
Em 199X (sim, eles usam o X no mangá, uma forma meio inútil de impedir que o leitor compare o ano da história futurística com o ano na vida real), uma guerra nuclear acontece. Básico. Assim como o sonho de muita gente, estamos agora em um futuro pós-apocalíptico, bem ao estilo Mad Max. Não é preciso dizer que, devido à isso, a sociedade humana está no puro caos, lutando todo dia por suprimentos, água e abrigo. Como se fossem larvas, as gangues punk se proliferam pela Terra, dominando cidades e queimando vilarejos.
Em meio à isso tudo, nós temos o AVATAR DO ESPERMA. Calma, calma. Bem, é o nosso protagonista, Kenshiro. Com origem misteriosa, esse andarilho mal-encarado tem uma poderosa arma em mãos: as mãos. O que acontece é que Kenshiro é o sucessor de uma arte marcial milenar e fatal, o Hokuto Shinken. Essa técnica consiste em atingir os pontos vitais do corpo humano, causando diversos efeitos, sendo o mais comum deles a IMPLOSÃO dos órgãos e membros da vítima. (Sim, meu amigo que toma Nesquik, esse mangá é GORE, mas só em relação à corpos humanos)
O que PEGA nessa história é que ele, esse lutador picudo, tem uma noiva. E ela foi roubada por seu ex-melhor amigo, que agora é simplesmente o rei de uma cidade inteira. Então nesses primeiros arcos nós acompanhamos Ken (who?) e seus dois seguidores-mirim através dessa Terra fodida, atrás de vingança pelo homem que, além de sequestrar sua amada, deixou uma cicatriz em seu peito em forma de 7 pontos, que curiosamente lembram a constelação de Ursa Maior.

Marcos Pasquim, ATIVAR!!!
Porque você deve ler isso:
Tá se perguntando isso ainda? Bem, então vamos elaborar melhor as qualidades desse mangá.

Primeiramente, como eu citei antes, as páginas desse mangá PINGAM SUOR. Dizem que quem lê uma página da história ganha automaticamente uma barba.

HELL YEAH, QUE MANGÁ FODA!

Sendo mais sério: esse mangá é um típico filme de ação dos anos 80, misturando as influências ocidentais, como Mad Max, com o plot oriental de artes marciais, como os filmes do Bruce Lee. Nós temos os penteados absurdos, o protagonista BRUCUTU, a violência sem limites, frases de efeito. Enfim, POR FORA, sem se aprofundar demais na trama, ele é isso. E se você gosta de Exterminador do Futuro, Mad Max, The Way of the Dragon, ESSE MANGÁ É PRA TI, JABUTI.

O pano de fundo, o mundo destruído, é muito bem definido através de cenas e diálogos. Dá pra ver que a Terra tá nos seus piores dias. Secas são comuns por todo o planeta. Desertos já são o bioma mais comum. Sem contar os gigantes. Sim, a cada três capítulos aparece um gigante, quase sempre mal e líder de gangue. Não que isso seja um perigo para Kenshiro, que normalmente derrota esses seres com um ou dois movimentos. Temos novos governos baseados em escravidão, pilhagem, sobrevivência do mais forte. Enfim, um inferno.

Gente morta por flechas, escombros, BADASS Kenshiro: básico do mangá

Também temos as ARTES MARCIAIS SECRETAS. Elas acabam virando o ponto forte do mangá mais para frente, quando VÁRIOS outros usuários, tanto do Hokuto Shinken quanto do Nanto Seiken (o estilo rival do Hokuto), pipocam pela história. Todas elas envolvem de alguma forma a dilaceração ou destruição do corpo do adversário. É legal ver a diferença e rivalidade entre o estilo Hokuto, que destrói o inimigo por dentro, e o estilo Nanto, que consiste em destruir o inimigo por fora. Na história, de uma hora para outra, descobrimos que ainda existem mais 3 usuários de Hokuto Shinken, tão mortais quanto Kenshiro. Se isso não é bastante, os 6 guerreiros do estilo Nanto tambem começam a aparecer. A história entra em um clima bem rápido e de várias batalhas, variando entre inimigos fúteis e assassinos perigosos.

Olá, eu sou o Bob e iso é GORE.

Bem, já falamos da ação, já falamos do enredo, já falamos das lutas, faltou algo?

MAS É CLARO QUE SIM.

Faltou o fator mais importante, a peça final nesse quebra-cabeça (ou seria implode-cabeça?), o (se preparem) SUPRA SUMO DESSA OBRA GENIAL:
O ROMANCE DE UM HOMEM.



Take it easy, champ. O termo soou muito gay? Ou sem sentido? Eu explico:

Romance de um homem é um termo que eu conheci em One Piece, mais especificadamente na parte de Jaya, onde o Luffy conhece um homem chamado WHATEVER que tem um sonho: encontrar a cidade perdida que por anos foi o motivo da humilhação que sua família recebe. Ele procura por essa cidade nadando todo dia até o fundo do mar para procurar vestígios, pistas (eu acho). E isso o está matando. Mas ele continua, pois, por querer limpar o nome de sua família e provar de uma vez por todas que seu ancestral, que encontrou a tal cidade, estava certo, ele se compromete com essa missão, que acaba virando o seu ROMANCE.

Quanta enrolação né? Só bastava dizer que Romance de um homem (que fica melhor em inglês "A Man's Romance") é a filosofia de que nossas ações nessa vida devem ser bonitos, devem ter honra, devem ser simbólicos. Como morrer por um irmão seu, arrancar o próprio braço para que seu filho subnutrido tenha o que comer (isso não acontece no mangá, calme).

ENTENDEU? A história é cheia de atos bonitos, de gestos ENORMES de altruísmo, amor, honra, amizade. Não parece, mas Kenshiro na verdade se arrepende de muitos dos homens que ele mata, pois os mesmos, em seus leitos de morte, sempre acabam se revelando humanos cheios de sentimentos, paixões, honras. A história é um grande épico sobre se sacrificar pelo bem do seu próximo. Curioso né? Em contraste com as mortes bem escrotas e pesadas, nós temos motivações bem puras e nobres.

Você é a doenca, e meu punho é a cura.
Saldo final:
Este mangá é referência para muitos artistas posteriores. É um marco na história dos shounens. Você NÃO PODE deixar de conhecer essa história sobre esteriótipos de filmes de ação que te ensinam o valor da honra, da família e do amor. Com um excelente roteiro e essa arte MASCULINA ATÉ O FIM, temos o que eu considero um dos pais fundadores da época de ouro dos mangás.

Nota: 9,5/10 (Porque os últimos capítulos conseguem cagar LEGAL com o personagem, puta merda)

Nenhum comentário:

Postar um comentário